Amorim a rasgar para a Champions

  • Lesão

 

© Arsénio Franco (editada)

 

Ruben Amorim está no Algarve, mas não propriamente de férias, como os colegas do plantel benfiquista. Entre um banho de sol e outro de mar, o médio trabalha que se farta e às vezes chega a ter quatro sessões de tratamento por dia para se restabelecer completamente da cirurgia feita em Janeiro - há quase cinco meses - a uma tendinose rotuliana nos dois joelhos. No reinício dos trabalhos, na pré-temporada, que arranca daqui por 19 dias, ainda deverá treinar condicionado, mas espera ser reforço no primeiro jogo oficial, a 26 ou 27 de Julho, a contar para a primeira da terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões. O treinador, Jorge Jesus, depois de tanto ter lamentado a ausência deste polivalente na ponta final da última temporada, também está a torcer por fora.

 

Doido por voltar a jogar, Amorim não vê mais nada além dos seus tratamentos, mas está igualmente consciente de que um regresso à pressa pode ser catastrófico. Os responsáveis do departamento médio do Benfica já há muito fizeram saber ao jogador que recuperar desde tipo de lesões - com propensão a tornarem-se crónicas - demora muito tempo. O normal é regressão à competição ao fim de seis meses, mas pode-se facilmente chegar aos oito meses até estar a cem por cento.

 

Ruben Amorim está no sul de Portugal com amigos e tem ainda como companhia inseparável Telmo Firmino: o fisioterapeuta do departamente médio do Benfica não larga o jogador um minuto nem o irá fazer até ao final da recuperação. Numa relação muito próxima entre atleta e recuperador, normal neste tipo de lesões, o camisola 5 é sujeito a sessões de exercícios na piscina, caminhadas, massagens nos joelhos e musculação. Tudo isto várias vezes ao dia, várias horas, num trabalho de grande intensidade.

 

A época 2010/11 foi praticamente perdida para Ruben Amorim. Só foi operado a 19 de Janeiro deste ano, mas desde o início da temporada - conforme O Jogo noticiou em primeira mão a 11 de Outubro - que andava a jogar com dores, com várias paragens para tratamentos conservador, dada a inflamação persistente dos tendões rotulianos. Nada resultou, e o atleta acabou mesmo por ter de ir à cada, sob a responsabilidade do médico do clube, António Martins.

 

Em contagem decrescente para o regresso ao Seixal, o jogador está a fazer de tudo para ser reforço de Jorge Jesus no início da época, mas na verdade não é certa ainda a data do seu regresso, pois a recuperação tem de ser criteriosa, progressiva e feita com tranquilidade, sem pressas.

 

Antes de a época terminar, Ruben Amorim ainda fez alguns treinos com bola, mas agora está só concentrado no seu restabelecimento físico. Uma tendinose rotuliana é uma doença no tendão das rótulas dos joelhos, muito comum em saltadores à vara ou em comprimento, mas que afecta atletas de alta competição em geral.

 

  • O que faz Amorim

 

 

» Piscina

 

Não tendo o efeito da gravidade, a água dá, aos tendões de Ruben Amorim, a flexibilidade de que eles precisam. É, pois, o meio ideal, sem o peso do corpo a sobrecarregar, para exercitar as estruturas do joelho, dando estabilidade e recuperando o tendão, sem agressões. Só para se ter uma ideia, o mesmo esforço físico fora de água multiplicar-se-ia por três.

 

» Massagens

 

As massagens não são nas costas nem nos ombros, muito menos de relaxamento. O fisioterapeuta Telmo Firmino faz massagens, mas aos joelhos de Ruben Amorim. Dada a cirurgia efectuada e todos os estímulos agora sobre os joelhos e a perna, é normal que existam estruturas com alguma inflamação, eventualmente com libertação de líquido. A massagem é fundamental e ajuda a anular a inflamação e a agilitar os movimentos.

 

» Caminhadas

 

Andar a pé é fundamental, e Ruben Amorim faz caminhadas todos os dias. Equilibra e estabiliza a estrutura dos joelhos, alem de fortalecer muscularmente a perna. É muito importante também porque promove o alinhamento do tendão que existe entre a rótula e a tíbia com o tendão do músculo da coxa.

 

» Musculação

 

Ruben Amorim também dá duro no ginásio, entre os pesos e as máquinas de musculação. O jogador perdeu massa muscular nos membros inferiores, dado o tempo de paragem, e precisa de recuperar volume e força. Até porque os músculos são fundamentais para estabilizar e proteger os tendões e demais estruturas dos joelhos.

 

Mesmo parado, continua a agitar o mercado

 

© Carlos Rodrigues

 

Ruben Amorim apareceu pela última vez nas quatro linhas - em jogos oficiais - a 16 de Janeiro deste ano, no embate dos encarnados em Coimbra, frente á Académica. Desde então passaram quase cinco meses, mas nem por isso o médio deixa de ver o seu nome agitar um pouco o mercado. Ainda recentemente, o diário italiano "Corriere dello Sport" avançou o interesse do Nápoles no polivalente jogador encarnado, que está na Luz desde 2008. Apesar de ter sido operado aos dois joelhos e de atravessar um longo período de recuperação, mantém intactas as boas referências em termos de mercado. No Nápoles, por exemplo, o próprio Yebda terá dado as melhores referências ao técnico Walter Mazzarri, interessado no reforço do meio-campo napolitano. Amorim tem contrato válido com as águias até 2013 e metade dos seus direitos económicos foram já vendidos ao Benfica Stars Fund por 1,5 milhões de euros.

 

In: O Jogo

publicado por Frederica às 16:48
link do post | comentar