Benfica, liderado por Ruben Amorim, é eliminado da Taça de Portugal

  • Crónica


© Maisfutebol
 
Jorge Jesus fez seis alterações no seu onze. E saiu-se mal. O Benfica até chegou à vantagem com um penalti inexistente, mas uma segunda parte notável levou o Marítimo para os quartos-de-final da Taça de Portugal, com muito mérito. Pedro Martins disse que a sua equipa iria ser a sensação na I Liga, mas também já o é na taça. Dez anos depois, os verde-rubros voltam a afastar os encarnados do Jamor. Já são catorze jogos sem perder.

Maritimo e Benfica jogavam nos Barreiros a invencibilidade que já ostentavam há alguns meses. Jorge Jesus fez seis alterações no seu onze em relação à equipa que jogou frente ao Sporting, enquanto que Pedro Martins adaptou Luís Olim a lateral esquerdo no lugar do castigado Rúben Ferreira. Depois, manteve a aposta de Ricardo na baliza em termos de jogos na Taça de Portugal. Foi uma primeira parte pobre de parte a parte, com muitas escorregadelas por parte dos jogadores maritimistas. Os locais raramente importunaram a defesa benfiquista, enquanto os encarnados tinham mais posse de bola e remataram mais vezes à baliza verde-rubra.

O primeiro sinal de perigo surgiu aos 7 minutos, com um grande passe de Gaitán para Rodrigo e este rematou bem para uma boa defesa de Ricardo. Até que, Paulo Batista assinala uma grande penalidade aos 25 minutos, sendo iludido por Nolito que ao passar por Briguel e João Guilherme deixa-se cair na grande área. Saviola rematou forte e Ricardo ainda tocou na bola, mas foi insuficiente para evitar o golo (27m) benfiquista. Os madeirenses só de bola parada assustaram Eduardo que falhou a sua saída após um livre de Danilo Dias aos 40 minutos. E até ao intervalo, nada mais. Os lisboetas estavam em vantagem, num jogo equilibrado e sem grandes motivos de interesse. Só Paulo Batista fez a diferença.
 
 
© Maisfutebol
 
 
Golaço dá igualdade e Sami confirma reviravolta!

Sem substituições ao intervalo, foi o Benfica que esteve perto do 2-0 aos 47 minutos, quando Rodrigo ganhou em velocidade a Roberge, mas rematou mal com a baliza à sua frente. Mas o empate esteve perto de surgir aos 51 minutos. Sami cruza na linha de fundo, para um remate de Danilo Dias, que Eduardo desvia bem, evitando o pior para os lisboetas. Foi o primeiro sinal de perigo dos madeirenses no jogo. O aviso foi dado e aos 59 minutos, Roberto Sousa de muito longe encheu o pé fez um golaço, repondo a igualdade no marcador, naquele que é o seu primeiro golo esta temporada.

Os pupilos de Pedro Martins cresceram. E aos 64 minutos, um passe longo de João Guilherme quase deu a oportunidade de Heldon fazer o 2-1, mas uma vez mais, Edaurdo saiu aos pés do atacante e evitou o pior com uma boa defesa. Só que após a troca de Saviola por Aimar, uma desatenção dos centrais benfiquistas, levou Jorge Jesus ao desespero. Um passe de Roberto Sousa permite que Sami se isole e faça um chapéu à saída de Eduardo, aos 70 minutos.

A resposta dos visitantes surgiu aos 74 minutos, com Nolito a ver Ricardo a negar-lhe o golo mais uma boa intervenção. O encontro animava dentro e fora do relvado.
Aimar começou a justificar a sua entrada e aos 76 minutos esteve perto de marcar, só que o remate saiu fraco permitindo a defesa de Ricardo.

O Benfica subiu no relvado e arriscava tudo dando mais espaço aos verde-rubros que jogavam em contra-ataque. Pedro Martins retira Sami aos 87 minutos e lança mais um central Igor Rossi. Era o mote para defender ao máximo a sua baliza.

Aimar esteve perto de marcar, Nélson Oliveira quase surpreendeu Ricardo, mas estava confirmada a primeira derrota do Benfica na corrente temporada.
© Maisfutebol
 
Marítimo: Ricardo Ferreira; Briguel, João Guilherme, Roberge, Luís Olim; Rafael Miranda, Roberto Souza, Olberdam; Danilo Dias, Baba e Sami.
Ainda jogaram: Heldon (Danilo Dias, 61min), Benachour (Olberdam, 84min) e Igor (Sami, 88min).
Golos: Roberto Souza (60min), Sami (70min).
Cartões Amarelos: Briguel (26min), Danilo Dias (28min), João Guilherme (79min), Rafael Miranda (90min).
Cartões Vermelhos: -
Benfica: Eduardo; Ruben Amorim, Jardel, Garay, Emerson; Matic, Axel Witsel; Gaitán, Saviola, Nolito; Rodrigo.
Ainda jogaram: Pablo Aimar (Saviola, 70min), Nélson Oliveira (Matic, 75min) e Maxi Pereira (Ruben Amorim, 85min).
Golos: Saviola (27min).
Cartões Amarelos: Gaitán (39min).
Cartões Vermelhos: -
 
  • Avaliações

© Maisfutebol
 
Record (1)
Uma noite de desacerto, na qual revelou mais lacunas e desatenção do que lhe é habitual, sobretudo no aspecto defensivo. Heldon foi um "inimigo" duro, ganhando claramente a batalha ao capitão benfiquista: em dois lances (64' e 84'), o maritimista aproximou-se com perigo da baliza de Eduardo, deixando Amorim a vê-lo passar.
 
O Jogo (3)
O Marítimo atacou com todas as armas o seu flanco, e o defesa-médio não resistiu a essa avalanche. Passou por muitos xalafrios perante os adversários que lhe surgiram pela frente, que quase sempre passaram por si sem problemas.
 
publicado por Frederica às 20:30
link do post | comentar