Ruben não vai pedir desculpa

  • Reportagem

 

© Daylife (editado)

 

Ruben Amorim não tenciona pedir desculpa a Jorge Jesus na sequência do processo disciplinar que lhe foi instaurado. A SAD encarnada acusa o internacional português de se ter "recusado a cumprir uma ordem da equipa técnica", estando, por isso, Ruben Amorim proibido de treinar-se com o plantel e sequer de entrar nas instalações do centro de estágio do Seixal. A transferência afigura-se como solução mais provável.

 

Conforme fonte do Benfica relatou ao nosso jornal, o processo disciplinar foi instaurado "logo no dia a seguir ao jogo com o Rio Ave", data em que Jorge Jesus e Ruben Amorim entraram em confronto directo. No entanto, sabe "O Jogo", só anteontem, dia de regresso aos treinos após o Natal, é que o jogador foi chamado ao gabinete do director-geral para o futebol, António Carraça, e informado oficialmente do processo disciplinar.

 

"Não faço o treino. Doem-me os joelhos", terão sido as palavras de Ruben Amorim após ordem de Jorge Jesus, no final do encontro com o Rio Ave, para que os não utilizados da partida realizassem um treino ligeiro. Em relação a este acontecimento, não restam grandes dúvidas, pois as versões coincidem. Há no entanto, depois, interpretações diferentes da questão.

 

Para a SAD encarnada, houve uma clara afronta por parte do jogador a Jorge Jesus. Do lado de Ruben Amorim, fontes próximas garantem ser mentira ele ter-se recusado a treinar. Mais: dizem que foi o próprio treinador a provocá-lo e a originar a discussão.

 

Uma coisa é certa: a relação entre o médio e o técnico nunca foi tão boa quanto aparentava - já vem mesmo dos tempos do Belenenses - e, esta época, tem vindo de mal a pior. "O Jogo" já noticiara, de resto, isso mesmo no passado dia 25, dando conta da indisponibilidade do jogador para continuar de águia ao peito e recordando o episódio do Outubro último, quando o médio veio a público queixar-se da falta de utilização no Benfica.

 

A SAD está, nesta altura, a elaborar a nota de culpa, devendo as partes envolvidas ser chamadas a depor brevemente, num processo que se deverá arrastar pelo menos durante os próximos dez dias. Os responsáveis encarnados estudam a melhor maneira de resolver o assunto, tendo, no entanto, já a certeza de que o jogador está revoltado e não baixará a cabeça.

 

Apesar do Benfica ser o clube do coração, Ruben Amorim quer arranjar outro emblema o mais depressa possível, desconhecendo ainda se terá de pagar alguma multa pecuniária pelo ocorrido. O médio acha que está a ser perseguido e a ter um tratamento diferente do que é dado aos jogadores estrangeiros.

 

Entretanto, o presidente do Sindicato dos Jogadores, Joaquim Evangelista, disse ontem publicamente que o organismo está disponível para dar apoio jurídico a Ruben Amorim, caso o jogador o solicite, coisa que ainda não fez.

 

© Record (editado)

 

A treinar-se sozinho e por iniciativa própria

 

Ruben Amorim não trabalhou ontem com o plantel de Jorge Jesus, tal como já acontecera na véspera, mas não deixou de se exercitar. O jogador realizou uma sessão de treino sozinho na zona onde mora, por iniciativa própria, dado que sabe o quanto é importante manter-se em boa condição física. Aliás, irá continuar a fazê-lo nos próximos dias, com a esperança de brevemente estar a vestir a camisola de outro clube. Operado aos dois joelhos há um ano, não tem, no entanto, agora, o apoio do departamento médico nos cuidados continuados.

 

Silêncio absoluto até se desvincular

 

Revoltado e, ao mesmo tempo, angustiado com toda esta situação, Ruben Amorim recusa falar o que quer que seja, devendo-o fazer apenas quando a situação estiver resolvida e se consiga desvincular do clube. O médio contou ontem com o apoio dos amigos e familiares, quer através de telefonemas, quer por escrito. Refugiado em casa, com a namorada, o camisola 5 recebeu muitas mensagens no seu telemóvel, inclusive de alguns dos colegas do plantel do Benfica, bem como de antigos companheiros do Belenenses.

 

Fasquia para venda está nos quatro milhões

 

A SAD encarnada mete nos quatro milhões de euros a fasquia de transferência, a título definitivo, de Ruben Amorim. Até agora, o empréstimo com opção de compra definida era a solução que mais agradava aos responsáveis encarnados, mas o processo disciplinar em curso veio mudar um pouco o cenário, estando agora a SAD do Benfica muito mais receptiva a uma venda em definitivo. Ao que "O Jogo" apurou, há clubes a querer o jogador, nomeadamente de Itália e Inglaterra. Também o Olympiacos já manifestou interesse, mas a hipótese transalpina ou britânica são, nesta altura, mais consistentes. Amorim, com contrato até 2013, teve tudo acertado com o Génova, mas o clube acabou por abortar o negócio.

 

In: O Jogo

publicado por Frederica às 14:31
link do post | comentar