R. Amorim reclama falta de condições

  • Fora das quatro linhas

 

© A Bola (editado)

 

Ruben Amorim considera injustificada a recusa do Benfica em permitir-lhe o acesso às instalações do clube, o que o obriga a manter a forma física por meios próprios. Este é um dos pontos que o médio irá frisar quando muito brevemente responder à nota de culpa que lhe foi endereçada pela SAD.

 

O internacional português advoga que lhe está a ser imposta uma limitação do direito ao trabalho, pois deixou de poder aceder *as indispensáveis condições laborais a partir do momento em que foi suspenso preventivamente. Esta situação acaba, segundo defende Ruben Amorim, por se saldar num forte prejuízo, tanto para ele como para o Benfica, que vê um activo importante sofrer uma desvalorização numa altura em que o mercado está aberto.

 

A defesa do camisola 5 acha injusto o facto de o Benfica não lhe abrir as portas das instalações, sustentando não existir qualquer justificação plausível. Uma recusa infundada, segundo quem suporta a causa do médio.

 

Como está suspenso preventivamente, Ruben Amorim vê-se impossibilitado de aceder as instalações das águias, mesmo separadamente do grupo de trabalho e em horário distinto. Quem o defende alega que a entidade patronal tem o dever de lhe facultar o acesso às condições que lhe permitam manter a forma física, algo indispensável para o exercício da profissão. O jogador não tem que fazer isso pelos seus próprios meios, costuma referir quem está na barricada dele.

 

© Record (editado)

Esquecido pelo técnico

 

Desde que foi instaurado o processo disciplinar a Ruben Amorim que Jorge Jesus tem evitado comentar o assunto e, após o jogo com o Santa Clara, nem o nomeou como alternativa para o lado direito da defesa.

 

"Precisamos de uma alternativa ao Maxi Pereira. Temos o André Almeida, o Ruben Pinto e o Miguel Vítor mas num contexto bem diferente. Vamos tentar desenvolver o André Almeida naquele lugar", afirmou o treinador de 57 anos, esquecendo o internacional português. Sabendo-se que Amorim tem um processo disciplinar, nesta altura parece já ser uma carta fora do baralho para a equipa técnica das águias.

 

Nas últimas semanas, durante as conferências de imprensa, Jorge Jesus tem sido invariavelmente questionado sobre as situações de Amorim e Enzo Pérez., "É um problema da entidade patronal", referiu antes da resolução do caso do argentino. Em relação ao camisola 5, um dos futebolistas do actual plantel que Jorge Jesus melhor conhece, a posição continua a ser de cautela pois o caso está entregue ao gabinete jurídico.

 

A dez dias do fecho do mercado de inverno, Amorim continua à espera de uma decisão para definir o futuro. Com mais um ano e meio de contrato com o emblema encarnado, o jogador prefere sair a título definitivo, indo de encontro à vontade da SAD. Os responsáveis pelo futebol encarnado entendem que a venda é a melhor solução para o médio.

 

PONTO DA SITUAÇÃO

 

» Processo é espoletado por alegada recusa do jogador em treinar-se logo a seguir à recepção ao Rio Ave, jogo em que ficou no banco;

 

» Suspenso preventivamente, Ruben está impedido de frequentar as instalações do clube, mantendo a forma sozinho e em local distinto;

 

» O sonho do camisola 5 é participar no Europeu, mas só o conseguirá... jogando. Não tem merecido chances na Luz e o mercado caminha para o fim.

 

In: Record

publicado por Frederica às 20:16
link do post | comentar