Domingo, 11 De Janeiro,2009

Certezas...

  • Reportagem

 

Sete meses depois, está criado o núcleo duro do Benfica. Da meia dúzia de futebolistas a quem Quique confia a solidificação da equipa, Maxi Pereira e Ruben Amorim emergem como duas surpresas entre as referências do passado e os ídolos do presente

 

© Margarida Novais

 

São seis e juntos dão corpo à expressão "núcleo duro" - numa lógica de gestão do plantel, Maxi Pereira, Luisão, Katsouranis, Ruben Amorim, Reyes e Suazo vestem a pele de intérpretes das ideias de Quique Flores em campo.

Neste conjunto, em que as referências do passado recente se misturam com os ídolos do presente, há dois nomes a destacar: pela forma como ultrapassam a concorrência, saltando da segunda fila (à qual pareciam votados) para a primeira, fixando-se entre as escolhas principais do treinados; Maxi e Ruben são os elementos-surpresa entre estes indiscutíveis. E os números provam-no, pois ambos estão entre os mais utilizados por Quique, técnico estatisticamente avesso à repetição de onzes. O corredor direito, no 4x4x2 do espanhol, pertence-lhes pela competência com que o preenchem.

 

Maxi e Ruben saltaram da segunda linha, à qual pareciam votados, para a primeira

 

 

TRILHO. Ruben Amorim foi apresentado um dia antes do arranque da pré-época (7 de Julho). Munido do seu cartão de sócio, o médio ex-belenense nascido na Luz revelou a ambição ao lado de Rui Costa e partiu testado para lateral-direito face às muitas opções na intermediária, encontrou como concorrente Maxi Pereira, outro polivalente que na época passada oscilara entre o lado destro e central do meio-campo.

Como se esperava, o uruguaio levou a melhor e nunca mais de lá saiu: aguerrido, competitivo e goleador (2 golos). Ruben, amiúde cansado - "não estou na minha melhor forma", chegou a dizer - procurou o seu espaço adiante. Inicialmente, perdeu para Balboa e Martins; depois, veio o Troféu Cidade de Guimarães e, no mesmo corredor, uns 30 metros à frente, Amorim iniciou a caminhada que o levou à titularidade absoluta e ao elogio público de Quique Flores: "Sem ele, não conseguimos jogar em linha."

 

 

Números - Ruben Amorim
Jogos 16
Minutos 1013
Golos 1

 

In: Record

publicado por Frederica às 16:42
link do post | comentar
Sábado, 10 De Janeiro,2009

Lista de Convocados para o jogo frente ao Sp. Braga

  • Antevisão


 

© Micaela Casadinho

 

Os regressos de Reyes, Nuno Gomes e Moreira são as principais notas de destaque da lista de convocados do Benfica. A equipa de Quique Flores recebe domingo o Sp. Braga, em jogo a contar para a 15.ª jornada da Liga.

 

Reyes regressa depois de recuperado da lesão muscular que o afastou dos últimos desafios. Já Nuno Gomes volta a ser opção após ter cumprido dois jogos de suspensão.

Moreira também está de regresso depois de Moretto ter defendido as redes dos encarnados na Taça da Liga, frente ao V. Guimarães.

De fora, por opção, ficam Quim, Makukula e Balboa.

LISTA DE CONVOCADOS

Guarda-redes: Moreira e Moretto.
Defesas: Luisão, Maxi Pereira, David Luiz, Jorge Ribeiro, Sidnei e Miguel Vítor.
Médios: Reyes, Katsouranis, Ruben Amorim, Di Maria, Carlos Martins, Yebda e Aimar.
Avançados: Cardozo, Nuno Gomes e Suazo
.

 

In: A Bola

publicado por Frederica às 16:17
link do post | comentar
Quinta-feira, 08 De Janeiro,2009

Benfica regressa às vitórias (0-2)

  • Crónica

 

 

© VitóriaSC.pt

 

O Benfica alcançou o quarto triunfo consecutivo no Berço, em menos de um ano. A formação encarnava está a desenvolver um historial de sucesso nas visitas ao reduto do V. Guimarães e voltou a ser feliz. Com um golo a abrir e outro ao cair do pano, os encarnados entraram com o pé direito na terceira fase da Taça da Liga, partilhando a liderança no Grupo C com o Belenenses. Katsouranis (9m) e Carlos Martins (81m) devolveram o espaço de manobra a Quique.

 

As equipas apresentavam-se no Estádio D. Afonso Henriques com estados de espírito distintos. O Vitória de Guimarães chegava em crescendo, depois de um triunfo vistoso em Vila do Conde (2-4), enquanto o Benfica procurava recuperar a postura altiva após desaire penoso na deslocação à Trofa. Manuel Cajuda repetiu a fórmula utilizada frente ao Rio Ave, face ao sucesso da operação, vendo Quique Flores mudar quase tudo.

 

Katsouranis desbrava o caminho

 

O treinador do Benfica entregou a baliza a Moretto, num processo de contínua rotatividade entre os guarda-redes do plantel encarnado, preparando mais uma mão cheia de alterações. O brasileiro, refira-se desde já, respondeu à altura. Ouviu das boas quando arriscou uma finta de pés sobre Roberto, ainda na primeira parte, mas compensou a ousadia com uma postura irrepreensível nos lances aéreos, fora da baliza.

 

Miguel Vítor e David Luiz não convenceram totalmente no sector defensivo, ao contrário de Katsouranis e Yebda no sector intermediário. Esta dupla, aliás, marca pontos na luta pela titularidade. O grego viria a inaugurar o marcado ao nono minuto de jogo, após canto cobrado por Aimar. O Benfica chegava à vantagem depois de duas belas defesas de Nilson: bem frente a Aimar, soberbo a negar o golo a Dí Maria.

 

O extremo argentino voltou a desiludir, tal como Balboa. Sexta novidade no onze de Quique Flores, o ala recrutado ao Real Madrid tarda em justificar o investimento. À meia-hora, quando seguia para o banco de suplentes à procura de uma garrafa de água, percebeu que nem havia direito a uma pausa. O seu tempo estava no fim. Durou 37 minutos no relvado.

 

 

© VitoriaSC.pt

 

Um castigo antes do ponto final

 

O Vitória de Guimarães queria aproveitar o período de fulgor e tentou lutar, uma vez mais, contra um golo consentido de forma precoce. Aliás, Manuel Cajuda ainda estará a tentar perceber como a sua equipa falhou a marcação a Katsouranis num movimento do grego que já é sobejamente conhecido do grande público.

 

A formação vitoriana, após uma dezena de minutos, partia atrás do prejuízo mas voltava a denotar falta de profundidade ofensiva. Após uma etapa inicial sobre grandes oportunidades de golo, o treinador local voltou a apostar na dose dupla de risco. Nuno Assis e Marquinho entraram para agitar as hostes e o segundo protagonizou um lance passível de castigo máximo, em duelo com Maxi Pereira. Olegário Benquerença mandou seguir (do outro lado, queixas legítimas num fora-de-jogo mal assinalado a Dí Maria, na etapa inicial).

 

Os adeptos começavam a adivinhar o pior. O Benfica limitava-se a aguentar a pressão, a defender de forma humilde e espreitando o contra-ataque a uma cadência pontual. Bastou. Na recta final do encontro, Suazo serviu Ruben Amorim à direita e este cruzou para o pontapé vistoso de Carlos Martins, perante a passividade de Moreno. Ponto final.

 

In: Maisfutebol

 

 

V. Guimarães: Nilson; Andrezinho, Gregory, Moreno e Luciano Amaral; Luís Filipe, João Alves, Wénio e Desmarets; Roberto e Fajardo.

Ainda jogaram: Nuno Assis (Wénio, 46min), Marquinhos (Luciano Amaral, 46min), Jean (Andrezinho, 71min).

Golos: nada a assinalar.

Cartões Amarelos: Wénio (40min), Moreno (61min), Gregory (70min).

Cartões Vermelhos: nada a assinalar.

 

Benfica: Moretto; Maxi Pereira, Luisão, Miguel Vítor e David Luiz; Balboa, Katsouranis, Yebda e Di María; Aimar e Suazo.

Ainda jogaram: Ruben Amorim (Balboa, 36min), Jorge Ribeiro (66min), Carlos Martins (Aimar, 76min).

Golos: Katsouranis (8min), Carlos Martins (80min).

Cartões Amarelos: Yebda (30min), Miguel Vítor (49min), Jorge Ribeiro (72min).

Cartões Vermelhos: nada a assinalar.

 

  • Avaliações

 

 

"Geriu bem o espaço, entre a linha e o meio campo, apoiando a zona central. Ao cabo de várias saídas em contra-acaque, fez o passe milimétrico para o golo de Carlos Martins. (3)", In: Record

 

"Opção acertada. Deu equilíbrio à equipa, tornando-a mais coesa, e participou em diversas situações de perigo. A principal aos 80min, quando assistiu Carlos Martins para o 0-2. (7)", In: O Jogo

 

"Balboa também o viu a jogar...

Entrou em jogo aos 37 minutos, para o lugar de Balboa. O ex-belenense fez mais em cinco minutos do que o ex-Real Madrid em pouco mais de meia hora, e se Ruben Amorim começou por travar o andamento perigoso de Luciano Amaral, na segunda parte, várias vezes convocou o passe dos companheiros para acelerar o ritmo da águia e alimentar a ilusão de um triunfo mais tranquilo. Nesse segmento, o ala encarnado surgiu a cruzar para Carlos Martins a bola que Suazo tirou dos pés a Moreno, no lance do 0-2. Consequente a atacar e solidário a defender, ontem, pelo menos, Ruben Amorim foi um dos bons portugueses de uma áquia que, ferida no campeonato, recuperou o caminho das vitórias nesta Taça da Liga que para os grandes ainda não é a eliminar. (A figura, 7)

 

> Chegou fresco do bano de suplentes e depressa deu outra vivacidade ao ataque. Neste lance (43min) deixou os defesas do Vitória para trás e descobriu Suazo, que rematou para a bancada.

Soberana a forma como Ruben Amorim conduz a bola pelo flanco direito, descobrinco Carlos Martins, sem marcação, no coração da área e pronto para fazer o segundo golo da noite (81min).", In: A Bola

 

"Bom e barato. Um exemplo da política a seguir pelos clubes portugueses. Substituiu Balboa e acrescentou clarividência ao flanco direito. Destaque para a assistência primorosa no golo de Carlos Martins", In: Maisfutebol

 

  • Declarações

 

«Se não jogarmos com atitude, não ganhamos»

 

 

Ruben Amorim, jogador do Benfica, comentou desta forma o triunfo frente ao Vitória de Guimarães, após um desaire penoso com o Trofense na última jornada na Liga:

 

«Na Trofa, nós não retribuímos o apoio dos adeptos devidamente. Este jogo serviu lutar um pouco mais e conseguimos o resultado pretendido. As palavras do presidente e do Rui Costa foram importantes, mas não é por aí. Os jogadores não querem fugir às suas responsabilidades. Fomos nós que jogámos mal, portanto competia a nós dar a resposta. Penso que conseguimos fazê-lo. São coisas que acontecem no futebol, a culpa foi dos jogadores e não precisámos que nos viessem dizer aquilo que fizemos mal, porque isso era notório. Penso que rectificámos, jogámos um pouco do nosso orgulho hoje.»

 

«Temos sempre de ter esta atitude. Jogámos contra o último classificado da Liga, nós estávamos em primeiro, e viu-se o que aconteceu. Se não jogarmos com atitude, não vencemos nenhum jogo. Não há medo do Braga, mas sim respeito. Conheço bem o treinador que lá está, mas sei que vamos responder à altura. Vai ser um bom jogo. Custou perder a liderança, mas mais que isso, foi aquele jogo, a forma como jogámos. Não gostámos de perder, mas perder com outro tipo de atitude é diferente...»

 

In: Maisfutebol

publicado por Frederica às 23:51
link do post | comentar
Quarta-feira, 07 De Janeiro,2009

"Benfica até debaixo de água" (4-0)

  • Crónica

 

© Daylife 

 

O Benfica regressou às vitórias, às goleadas e ao topo da tabela, ainda que tenha a companhia do Sp. Braga (têm os mesmos pontos). Os encarnados derrotaram uma Académica (4-0), que ainda mostrou algum atrevimento na Luz, mas que não teve energias para cumprir a tradição de vencer no reduto encarnado, depois de ter conseguido fazê-lo nas últimas duas temporadas.

 

Jesus operou duas alterações no onze encarnado. Sidnei saiu para dar lugar ao recuperado Luisão. Ruben Amorim substituiu Javi García, que cumpre castigo. Aimar recuperou das queixas apresentadas, após o jogo com o BATE. Já Villas Boas decidiu não mexer na equipa que derrotou o V. Setúbal (3-0), embora a dupla de centrais tenha estado em dúvida.

 

Os encarnados marcaram logo aos seis minutos, com um bom passe de Saviola para a desmarcação de Cardozo. Frente a Rui Nereu, o paraguaio não desperdiçou. Um golo madrugador poderia fazer crer que, a partir daí, os visitantes se encolhessem, optando pelo contra-ataque. No entanto, esta equipa orientada por Villas Boas surpreendeu ao reagir ao golo sofrido atacando.

 

Parece uma estratégia óbvia, poderia dizer-se. Mas deixa de sê-lo se olharmos para o panorama do futebol nacional em que, muitas vezes, parece ser melhor trabalhar para um empate ou para não perder por muitos. A Académica não entrou por esse caminho, mostrando-se Briosa, em sentido literal.

 

© Daylife 

 

Se em algumas partidas, Jorge Jesus podia queixar-se de defrontar «um autocarro» e não uma equipa, este domingo isso não aconteceu. A Académica jogou adiantada no terreno e de forma desinibida, conseguindo, em alguns momentos, encostar os anfitriões à sua baliza. É certo que não criou ocasiões claras de perigo, mas criou bons lances e mostrou atitude.

 

Atrevimento sai caro

 

Mas jogar assim tem custos. O primeiro golo do Benfica surgiu exactamente porque a defesa da Académica estava muito adiantada e não conseguiu recuperar a tempo de travar Cardozo. No entanto, mesmo a perder, os estudantes não desarmaram. Pelo menos até aos 25 minutos.

 

A chuva, que deteriorou o relvado, não deixou que houvesse «espectáculo». Mas ainda assim foi agradável ver que as duas equipas tentavam jogar futebol, ainda que os encarnados não estivessem a demonstrar a atitude a que habituaram os adeptos.

 

Aos 32 minutos chegou um grande golo de Saviola. O segundo tento encarnado nasceu de um passe de Maxi Pereira e de um belo chapéu do argentino a Nereu. O 2-0 até podia soar a injustiça, se lembrássemos que a Briosa dominou as acções durante largos minutos, mas a verdade é que o Benfica criou mais perigo, foi mais eficaz e teve um inspirado Saviola. O argentino teve uma grande noite - uma assistência, um golo e muito «futebol nos pés».

 

© Daylife 

 

A vantagem de dois golos animou o conjunto anfitrião e «quebrou» os visitantes, que pareciam limitar-se a esperar pelo descanso do intervalo, para reorganizar ideias. O Benfica até podia ter feito o terceiro. Mas também podia ter sofrido um golo, depois de um mau atraso de David Luiz, aos 43 minutos.

 

Goleada, enguiço quebrado

 

Os primeiros cinco minutos da segunda parte mostraram duas equipas «conformadas» com o resultado. Mas nem tudo o que parece é e o 3-0 (Cardozo), aos 56 minutos, foi um ponto de viragem. O Benfica mostrou a segurança e coordenação de outros jogos. Já a Académica parecia não ter pernas para reagir à ofensiva encarnada.

 

Aos 69 minutos chegou o terceiro golo de Cardozo, o quarto do jogo. O livre foi marcado por Di María e o paraguaio finalizou de cabeça, desenhando-se mais uma goleada na Luz. Parece que os encarnados, que tinham marcado apenas um golo nos últimos três jogos da Liga, quebraram o enguiço.

 

Ainda não foi desta que a Académica venceu fora de portas, mas há que destacar o facto de os estudantes terem tentado jogar futebol e discutir o resultado. A estratégia não resultou, é certo. Mas a ideia é boa.

In: Maisfutebol

 

© Daylife 

 

Benfica: Quim; Maxi Pereira, Luisão, David Luiz, César Peixoto; Ruben Amorim, Ramires, Di María, Aimar; Saviola, Cardozo.
Ainda jogaram. Saviola (Weldon, 68min), Aimar (Fábio Coentrão, 77min), Cardozo (Nuno Gomes, 83min).
Golos: Cardozo (6min, 55min, 69min), Saviola (32min).
Cartões Amarelos: Di María (60min), César Peixoto (86min), David Luiz (88min).
Cartões Vermelhos: -

 

Académica: Rui Nereu; Pedrinho, Orlando, Markus Berger, Emídio Rafael; Nuno Coelho, Cris, William Tiero; João Ribeiro, Sougou, Éder.
Ainda jogaram: Vouho (Nuno Coelho, 58min), Miguel Pedro (Sougou, 59min), Diogo Gomes (João Ribeiro, 72min).
Golos: -
Cartões Amarelos: Vouho (65min).
Cartões Vermelhos: -

 

  • Avaliações

 

 

"Não fez esquecer Javi Garcia, é certo, mas provou que é uma aposta segura, fazendo alarde do poder de compensação e visão de jogo. Saiu lesionado queixando-se da coxa. (3)", In: Record

 

"Eleito por Jorge Jesus para o lugar de Javi Garcia, sentiu dificuldades para assumir o controlo do meio-campo encarnado. Perdeu várias vezes a bola no início, mas depois subiu claramente de produção, não denotando dificuldades apesar do estado do relvado. Deixou o campo lesionado. (6), In: O Jogo

publicado por Frederica às 19:42
link do post | comentar
Terça-feira, 06 De Janeiro,2009

Convocados para a Taça da Liga, em Guimarães

  • Antevisão

 

© Isabel Cutileiro

 

O regresso de Quim ao lote de convocados é a nota de destaque na véspera do V. Guimarães-Benfica a contar para a Taça da Liga. Por outro lado, Makukula também está entre os eleitos, ao contrário de Reyes, que dá continuidade à recuperação do problema físico que o afectou. Urreta, ao serviço da selecção Sub-20 do Uruguai, continua ausente, tal como Léo, que está ausente dos trabalhos no Caixa Futebol Campus por motivos familiares.

LISTA DE CONVOCADOS

 

Guarda-redes: Quim e Moretto;
Defesas: Luisão, Maxi Pereira, David Luiz, Jorge Ribeiro, Sidnei e Miguel Vítor;

Médios: Katsouranis, Aimar, Balboa, Ruben Amorim, Di María, Carlos Martins e Yebda;

Avançados: Cardozo, Makukula e Suazo.

 

In: SLBenfica.pt

publicado por Frederica às 20:46
link do post | comentar
Segunda-feira, 05 De Janeiro,2009

Benfica perde invencibilidade e liderança na Trofa

  • Crónica

 

© Daylife

 

O Benfica caiu com estrondo na Trofa. Foi derrotado sem complacência pelo último classificado, perdeu o primeiro lugar duas jornadas depois de o ter conquistado e saiu vergado à superioridade do modesto adversário.

 

O Benfica, repete-se, caiu com estrondo na Trofa. Onde curiosamente nunca nenhum grande tinha caído. Pela simples razão que nunca nenhum grande tinha jogado na Trofa. Foi por isso uma estreia de sonho do Trofense.

 

Que era até esta noite o lanterna-vermelha da Liga. Deixou de o ser no final de um jogo em que vulgarizou o Benfica. É verdade que a equipa de Quique Flores teve um papel fulcral nisso, mas não se tire o mérito a quem o merece.

 

A formação de Tulipa entrou mal no jogo, passou toda a primeira parte a fazer um jogo demasiado físico, mas marcou pouco antes do intervalo. Moralizada pela vantagem no marcador, então sim, partiu para uma segunda parte muito boa.

 

O trajecto do Trofense foi inversamente proporcional ao do Benfica. Os encarnados entraram bem no jogo. Logo aos 28 segundos ficaram perto de marcar por Suazo e dispuseram de três cantos no primeiro minuto e meio.

 

Com o tempo porém o Trofense foi acertando nas marcações e falhando menos. Somou-lhe uma agressividade nos limites do razoável, usou e abusou de um futebol longo que atemorizou a defesa benfiquista e com isso equilibrou o jogo.

 

Foi nessa altura aliás que começou o descalabro do Benfica. Os encarnados deixaram-se enredar no futebol físico, demasiado faltoso e pouco bonito do Trofense. O jogo passou a ser um monte de equívocos, com constantes paragens e nenhum futebol.

 

A equipa de Quique Flores abdicou então de armas como a técnica, a velocidade ou a explosão, entrou no tipo de jogo que interessava ao Trofense e colocou-se a jeito para qualquer imponderável. Como por exemplo... um frango de Moreira.

 

© Daylife

 

Hélder Barbosa abre o livro e o Benfica encerra para balanço

 

Quando o Trofense marcou o primeiro golo pouca coisa o podia justificar. A equipa da Trofa não tinha sido melhor que o Benfica. Tinha sido apenas igualmente má. Um lance de génio de Hélder Barbosa - que grande jogo! -, desbloqueou o impasse.

 

O esquerdino emprestado pelo F.C. Porto efectuou um passe que rasgou por completo a defesa do Benfica, isolou Reguila na direita, o avançado rematou forte e contou depois com a colaboração de Moreira: deixou a bola passar-lhe pelas mãos. Um frango!

 

Logo a seguir veio o intervalo e começou a segunda parte. Com um dado novo, claro: o Trofense estava na frente. Nessa altura o Benfica não soube reagir. Quique Flores deixou o inexistente Di Maria nos balneários para lançar Cardozo, mas foi pouco.

 

É verdade que Cardozo e Suazo juntos podiam ser uma solução para este tipo de jogo, mas faltou o resto. Faltou quem os alimentasse. Faltou Aimar, faltou Carlos Martins, faltou Ruben Amorim. Faltou futebol. Faltou vontade. Faltou sobretudo vontade.

 

O Trofense moralizou-se. O Benfica, esse, caiu a pique. Não havia quem assumisse a bola, quem oferecesse linhas de passe, quem inventasse soluções. Não havia sequer quem quisesse inventá-las. Rui Costa abanava a cabeça em sinal de reprovação.

 

Já sobre o final do jogo, após mais uma perda de bola do Benfica, Pinheiro serviu Hélder Barbosa e o esquerdino empurrou a bola para a baliza. E o F.C. Porto para a liderança da Liga. Um prémio justo para a segunda parte de grande nível do Trofense.

 

Antes disso, pouco antes disso, Binya já tinha sido expulso. O Benfica era por esta altura um grupo de bons rapazes, de olhar triste no chão e constantes discussões dentro de campo. Estava fechado para balanço há algum tempo. Bem precisa, realmente.

 

In: Maisfutebol

 

© Daylife

 

Trofense: Paulo Lopes; Paulo Roberto, Miguel Ângelo, Valdomiro e Tiago Pinto; Milton do Ó; Mércio, Delfim e Hugo Leal; Reguila e Hélder Barbosa.

Ainda jogaram: Areias (Delfim, 70min), Pinheiro (Hugo Leal, 81min) e David Caiado (Hélder Barbosa, 84min).

Golos: Reguila (44min) e Hélder Barbosa (82min).

Cartões Amarelos: Miguel Ângelo (43min), Reguila (44min) e Milton do Ó (68min).

Cartões Vermelhos: nada a assinalar.

 

Benfica: Moreira; Maxi Pereira, Luisão, Sidnei e Jorge Ribeiro; Binya, Ruben Amorim, Carlos Martins e Di María; Pablo Aimar e David Suazo.

Ainda jogaram: Cardozo (Di María, 46min), Yebda (Carlos Martins, 68min) e Balboa (Ruben Amorim, 70min).

Golos: nada a assinalar.

Cartões Amarelos: Binya (48min e 63min), Suazo (55min), Jorge Ribeiro (69min), Maxi Pereira (77min).

Cartões Vermelhos: Binya (acumulação de amarelos aos 48min e 63min).

publicado por Frederica às 21:07
link do post | comentar
Sábado, 03 De Janeiro,2009

Convocados para o jogo com o Trofense

  • Antevisão

 

© Isabel Cutileiro

 

Para a visita ao terreno do Trofense, na 13.ª jornada da Liga, o treinador Quique Flores não vai poder contar com os contributos de Reyes (lesão), Nuno Gomes e Katsouranis (o atacante e o médio grego vão cumprir castigo disciplinar). Além destes dois jogadores, Urreta (ao serviço da selecção sub-20 do Uruguai) foi o outro jogador que saiu da última convocatória.

No entanto, Carlos Martins, recuperado de uma lesão na perna direita, já vai poder ser opção para Quique Flores, que também chamou o atacante Makukula.

LISTA DE CONVOCADOS


Guarda-redes: Moreira e Moretto;

Defesas: Luisão, Maxi Pereira, David Luiz, Jorge Ribeiro, Sidnei e Miguel Vitor;

Médios: Aimar, Balboa, Ruben Amorim, Bynia, Di Maria, Carlos Martins e Yebda;

Avançados: Cardozo, Makukula e Suazo.

 

In: SLBenfica.pt

publicado por Frederica às 22:32
link do post | comentar



Uma iniciativa criada a 9 de Outubro de 2008 com o objectivo de todos os fãs/adeptos poderem mandar a sua mensagem ao Ruben juntou mais de 50 comentários com opiniões diversas e pessoais, as quais agradecemos desde já e que poderá ver AQUI. Devido a actualizações (quase) diárias, o mesmo foi desaparecendo aos poucos e deixando de ser principal notícia no Blog. Não querendo deixar a oportunidade de o Ruben saber e ler a vossa opinião, visto que é visitante deste espaço dedicado a ele, poderá sempre mandar uma mensagem para AQUI.




«Antes de mais quero agradecer a todos pelo apoio que voces têm dado ao Benfica e principalmente a mim. Sinceramente não tenho muito jeito para estas coisas mas também não existem palavras para dizer a força que me transmitem quando leio o que escrevem. Dito isto quero que me desculpem mas tenho de mandar um beijo especial à Frederica e espero um dia estar à altura da imagem que tu tens de mim.
Em breve terei um site e quero que saibas que terás um papel bastante activo nele.. Isto se quiseres, claro. Desculpem não ser de muitas palavras mas mais uma vez OBRIGADO.
Ruben Amorim»
26 de Março de 2009




• Nome Completo:
Ruben Filipe Marques Amorim
• Clube Actual:
Sporting Clube de Braga (emp. SLB)
• Data de Nascimento:
27 de Janeiro de 1985
• Idade:
27 anos
• Local de Nascimento:
Lisboa, Portugal
• Altura:
1,80m
• Peso:
77kg
• Posição:
Médio
• Camisola:
Número 5



• Percurso:
Camadas Jovens Sport Lisboa e Benfica, CAC Pontinha, Ginásio de Corroios, Belenenses, Sport Lisboa e Benfica, Sporting de Braga (actual, por empréstimo)
• Estreia na 1ª Divisão:
14 de Dezembro de 2003
Belenenses 2 vs 0 Alverca
1 minuto
• Treinador que o lançou: Vladislav Bogicevic
• Internacionalizações: Sub-19, Sub-21, Portugal B, Portugal
• 100º Jogo:
27 de Setembro de 2008
Benfica 2 vs 0 Sporting
45 minutos
• Antes do futebol:
Ruben começou por ser guarda-redes de hóquei de patins mas aos 9 anos optou pelo futebol de onze.




• Campeonato Nacional: 09/10 (SL Benfica)
• Taça da Liga: 08/09; 09/10 (SL Benfica)
• Eusébio Cup: 2009/2010 (SL Benfica)
• Torneio Cidade Guimarães: 08/09; 09/10; 10/11 (SL Benfica)
• Torneio de Amesterdão: 09/10 (SL Benfica)
• Torneio Guadiana: 09/10; 10/11 (SL Benfica)
• Albufeira Summer Cup: 10/11 (SL Benfica)
• Canada National Exhibition: 10/11 (SL Benfica)
Prémios Individuais:
• Jogador Jovem do Mês: Dezembro 2007 (Belenenses)


Photobucket
(clique para aumentar)
© RuiCosta_10

Photobucket
(clique para aumentar)
© Guilherme Cabral

Photobucket
(clique para aumentar)
© Guilherme Cabral

Photobucket
(clique para aumentar)
© Guilherme Cabral









AQUI poderá aceder a mais vídeos sobre Ruben Amorim, numa conta feita pela organização do Blog, onde se reunem golos, jogadas, conferências de imprensa e outros momentos.