Certezas...

  • Reportagem

 

Sete meses depois, está criado o núcleo duro do Benfica. Da meia dúzia de futebolistas a quem Quique confia a solidificação da equipa, Maxi Pereira e Ruben Amorim emergem como duas surpresas entre as referências do passado e os ídolos do presente

 

© Margarida Novais

 

São seis e juntos dão corpo à expressão "núcleo duro" - numa lógica de gestão do plantel, Maxi Pereira, Luisão, Katsouranis, Ruben Amorim, Reyes e Suazo vestem a pele de intérpretes das ideias de Quique Flores em campo.

Neste conjunto, em que as referências do passado recente se misturam com os ídolos do presente, há dois nomes a destacar: pela forma como ultrapassam a concorrência, saltando da segunda fila (à qual pareciam votados) para a primeira, fixando-se entre as escolhas principais do treinados; Maxi e Ruben são os elementos-surpresa entre estes indiscutíveis. E os números provam-no, pois ambos estão entre os mais utilizados por Quique, técnico estatisticamente avesso à repetição de onzes. O corredor direito, no 4x4x2 do espanhol, pertence-lhes pela competência com que o preenchem.

 

Maxi e Ruben saltaram da segunda linha, à qual pareciam votados, para a primeira

 

 

TRILHO. Ruben Amorim foi apresentado um dia antes do arranque da pré-época (7 de Julho). Munido do seu cartão de sócio, o médio ex-belenense nascido na Luz revelou a ambição ao lado de Rui Costa e partiu testado para lateral-direito face às muitas opções na intermediária, encontrou como concorrente Maxi Pereira, outro polivalente que na época passada oscilara entre o lado destro e central do meio-campo.

Como se esperava, o uruguaio levou a melhor e nunca mais de lá saiu: aguerrido, competitivo e goleador (2 golos). Ruben, amiúde cansado - "não estou na minha melhor forma", chegou a dizer - procurou o seu espaço adiante. Inicialmente, perdeu para Balboa e Martins; depois, veio o Troféu Cidade de Guimarães e, no mesmo corredor, uns 30 metros à frente, Amorim iniciou a caminhada que o levou à titularidade absoluta e ao elogio público de Quique Flores: "Sem ele, não conseguimos jogar em linha."

 

 

Números - Ruben Amorim
Jogos 16
Minutos 1013
Golos 1

 

In: Record

publicado por Frederica às 16:42
link do post | comentar