Benfica começa com empate (1-1)

  • Crónica

 


 

Três reforços, um golo, eis o Benfica 2008/09, esquematizado num 4x4x2 clássico que o espanhol Quique Flores tem imposto na pré-temporada encarnada. A partida frente ao Estoril foi jogada em ritmo ainda lento, com alguns dos jogadores encarnados a mostrarem que ainda estão algo presos no que respeita à forma física. Para além disso, o plantel tem de emagrecer como se percebeu pela diferença entre as equipas que actuaram em cada parte do jogo. A inicial deu conta de si, a segunda foi um grupo de rapazes a tentar provar valor. Desse modo, o jogo terminou num empate.

 

Ainda com muita gente no plantel, o primeiro onze benfiquista trouxe três reforços para os adeptos verem. Carlos Martins, Yebda e Balboa. Os primeiros deram nas vistas e fabricaram o golo encarnado, aos 12 minutos. Até aí, pouco se tinha visto. Apenas que Nuno Assis é uma solução de recurso na ala esquerda e que os dois avançados, Makukula e Dabao, estão muito pouco entrosados.

 

Curiosamente, as três caras novas dos encarnados estiveram envolvidas no 1-0. Balboa pode ter sido o reforço que deu menos nas vistas, mas sofreu a falta que levou Carlos Martins a colocar a bola na cabeça de Yebda. O francês valeu-se dos centímetros e, com boa impulsão, saltou por cima da defesa estorilista e atirou a contar. Saiu logo depois e entrou Ruben Amorim. O mercado benfiquista rende frutos na pré-época, mas ainda é demasiado cedo para avaliar a mais-valia das contratações.

 

De resto, a primeira parte serviu para confirmar algumas indicações da temporada passada. Léo continua igual a si próprio, Assis quando encosta à ala flecte em demasia para o miolo e Luís Filipe mostrou dificuldades já vistas antes. Ainda assim, o Benfica não passou por grandes calafrios e esteve sempre mais perto do 2-0 que o Estoril do empate. Carlos Martins tentou assumir o jogo a meio terreno e teve um belo remate de pé esquerdo, ao qual os seguidores encarnados gritaram golo. A bola bateu na malha mas pelo lado de fora.

 

Um remate de Marco Bicho foi o único apontamento de perigo do Estoril, já perto do intervalo.

In: Maisfutebol

 

Estoril-Praia: Márcio Ramos; Marco Silva, Varela, Miguel Oliveira e Eduardo; Alexandre, Marco Bicho, Ângelo Varela e Barge; Nuno Sousa e Leandro.

Jogaram ainda: Leão, Tiago, Dorival, Bafode, Cesinha, Pedro Caravana, Luiz Alberto e Luís Carlos.
Golos: Nuno Sousa (63min)


Benfica: Moreira; Luís Filipe, Edcarlos, Miguel Vítor e Léo; Balboa, Carlos Martins, Yebda e Nuno Assis; Makukula e Dabao.
Jogaram ainda: Ruben Amorim, João Pereira, Sepsi, Binya, André Carvalhas, Nélson, Urretavizcaya e Miguel Rosa.

Golos: Yebda (12min) 

  • Avaliações

 

"Entrou para o lugar de Yebda ainda não havia meia-hora de jogo. Não foi tão pendular como o francês longe disso. A explicação pode estar no plano físico. O médio ex-Belenenses ainda parece pesado, preso de movimentos. Desse modo, abusou do jogo lateral, sem passes de ruptura.", In: Maisfutebol

 

"Correr muito não significa correr bem. Para convencer Quique, vai ter que se esforçar um pouco mais. Melhorou na segunda parte.", In: O Jogo

 

"Entrou e permitiu que a equipa exercesse domínio no meio-campo... durante a primeira parte. Após as inúmeras substituições operadas por Quique assumiu o papel de bombeiro de serviço. Muito voluntarioso, não regateou esforços nos duelos do miolo", In: Record

publicado por Frederica às 17:52
link do post | comentar