Benfica sofre segunda derrota (3-2) no campeonato, em Alvalade

  • Crónica

 

© Alvaro Isidoro

 

Por cada herói, há um vilão. Os optimistas recordarão dois golos portentosos de Liedson, o coração de Derlei, a entrada de Pereirinha, a velocidade de reacção de Suazo, a frieza de Reyes, o instinto de Cardozo a beleza de um derby sem paralelo (3-2). Os pessimistas falam dos erros de David Luiz (tantos e tantos) e Polga, do braço de Maxi que escapou à sanção de Olegário Benquerença. Apontarão mais casos e incidentes fora das quarto linhas. Como queiram. Foi um jogão, um concentrado de emoções. Um clássico.

O Sporting apresentou-se em Alvalade vindo de baixo, sob pressão. Paulo Bento contornou a questão mas os números realçavam a importância de um triunfo, pelo menos um triunfo na dupla ronda de clássicos. Assim foi. Os leões estiveram sempre mais perto da vitória e foram premiados pela ousadia. Segue-se o Dragão.

Quique Flores batia violentamente no banco de suplentes, com onze minutos de jogo, adivinhando o pior. David Luiz acabara de facilitar novamente, com castigo pesado. Canto para o Sporting, bola rechaçada e Liedson, um enorme Liedson, a marcar um golo de bandeira, capaz de impulsionar no estádio como uma mola.

O levezinho voltou a justificar o seu peso no jogo leonino, apontando o 7º tento na Liga, em jeito de prenúncio para uma noite em cheio. O 8º chegaria perto do fim. Com Moutinho regressado ao onze, Pedro Silva e Grimi nas alas, o Sporting ia potenciando a alegria ofensiva de Liedson, Izmailov, Vukcevic ou mesmo Postiga. O português viria a quebrar fisicamente após entrada de Luisão, cedendo o seu lugar a Derlei.

 

© Alvaro Isidoro


A ilusão de um regresso

O Benfica respondia. A equipa parecia curta, mas Yebda preenchia os espaços. Com enorme coração, o francês esquecia o cartão amarelo visto precocemente e emprestava músculo à equipa. Uma bola no poste, uma oportunidade perdida e um duelo aéreo vencido, abrindo caminho para o empate. Polga confirmou derby infeliz para os defesas e excedeu-se na confiança. Suazo intrometeu-se e foi derrubado. Penalty para Reyes, incerteza de volta.

Por momentos, por largos minutos até, criou-se a ilusão de um regresso em pleno da equipa de Quique Flores. Até ao intervalo, haveria ainda tempo do caso da praxe, um gesto notório de Maxi Pereira, sacudindo o braço para desviar uma bola rematada por Izmailov. Grave.

A energia vinda do banco

Estranho, este Sporting. Nos últimos jogos, os avançados vindos do banco acabam por surgir com energia acima da media. No Restelo, foi Postiga. Em Alvalade, inversão de papéis para brilhar Derlei. No início da etapa complementar, com a defensiva encarnada a tremer, os leões voltaram à postura altiva. O ninja esperou pela bola bombeada, viu Sidnei falhar o tempo de salto, afastou o infeliz David Luiz e marcou à anterior equipa.

Cabia a Quique Flores responder. Respondeu mal. Reyes, Aimar e Suazo apareciam a espaços, Ruben Amorim nem tanto, Katsouranis ainda menos, mas retirar Yebda foi mal pensado, apesar do cartão amarelo. Perderam-se o músculo e os desequilíbrios, a atitude e a força.

 

O jogo partiu-se com a entrada de Nuno Gomes, mas o Sporting parecia imperturbável na rota do triunfo. Vencia e queria mais. Pereirinha aproveitou a noite de folga e David Luiz e cruzou para o bis de Liedson, arrumando a questão. Cardozo, goleador estranhamente ignorado, ainda reduziu. O Benfica continua em vantagem na tabela mas foi de menos em Alvalade.

 

© Alvaro Isidoro

 

Sporting: Tiago; Pedro Silva, Daniel Carriço, Anderson Polga, Grimi; Izmailov, Rochemback, João Moutinho, Simon Vukcevic; Liedson, Hélder Postiga.

Ainda jogaram: Derlei (Hélder Postiga, 26min), Bruno Pereirinha (Simon Vukcevic, 73min), Tonel (Izmailov, 90min).

Golos: Liedson (10min, 81min), Derlei (47min).

Cartões Amarelos: Anderson Polga (35min), Derlei (48min), Rochemback (66min).

Cartões Vermelhos: -

 

Benfica: Moreira; Maxi Pereira, Luisão, Sidnei, David Luiz; Ruben Amorim, Yebda, Katsouranis, Reyes; Pablo Aimar, Suazo.

Ainda jogaram: Di María (Yebda, 57min), Cardozo (Suazo, 65min), Nuno Gomes (Ruben Amorim, 80min).

Golos: Reyes (36min, g.p.), Cardozo (89min).

Cartões Amarelos: Yebda (7min), Pablo Aimar (43min), Ruben Amorim (60min), Reyes (75min), Sidnei (76min).

Cartões Vermelhos: -

 

  • Avaliações

 

© Alvaro Isidoro

 

"As deficiências de um jogador adaptado notam-se mais em pardias desta dimensão. David Luz que o diga... O antigo médio-centro do Belenenses cumpriu satisfatoriamente a missão de tapar o flanco direito da equipa, mas, em termos ofensivos, não criou qualquer desequilíbrio. Ele não é um ala...

Km percorridos: 9.203

Velocidade média: 7,3.", In: Record

 

"Não fez um bom jogo, nem mesmo quando se deslocou para o eixo do meio-campo, na sequência da com a entrada de Di María. Procurou pressionar os opositores directos, mas saiu-se quase sempre mal na condição do esférico, denunciando no passe. (4)", In: O Jogo

 

"Muita entrega, mas pouca lucidez, sobretudo em termos ofensivos. Passou para o meio mas pouco se viu, acabando subsituído. Ainda assim forte no preenchimento de espaços e na forma como fechou o lado direito. (5)", In: Ser Benfiquista

publicado por Frederica às 16:59
link do post | comentar