Flores a mais... na defesa

  • Crónica

 


© GettyImages

 

Segundo teste, primeiras virtudes e defeitos do Benfica de Quique Flores, que perdeu por 2-3 no primeiro jogo do Torneio Guadiana. Os encarnados mostraram já alguns movimentos ofensivos interessantes, assim como a tentativa de pressionar logo que os ingleses pegavam na bola. Mas como há aspectos a louvar, há também outros menos bons a reter. A começar pela defesa, que desperdiçou a vantagem oferecida por em 50 por cento por Fellipe Bastos e concluída na totalidade por Urretavizcaya.

 

De novo o Benfica em 4x4x2 clássico, como o treinador espanhol tem treinado, de novo a equipa com Assis na ala esquerda, mas desta vez com Martins a descair para a direita. No meio, Yebda e Fellipe Bastos. Este quarteto iniciou a partida em boa rotação e entendimento, para os parâmetros de pré-época. Os do meio, Bastos e Yebda, jogavam quase de olhos fechados, um a organizar o ataque e a fechar bem, o outro a simplificar ideias e ajudar com o físico. Mas foi o brasileiro que mais impressionou, até porque foi a primeira vez que vestiu a camisola encarnada em solo português (tinha jogado na digressão a África, no final de época).

 

O brasileiro começou a jogada do 1-0, com uma abertura para a esquerda, apanhou a bola mais à frente e disparou. Bronn defendeu, mas Urretavizcaya estava atento e concluiu o lance de Bastos. O Benfica estava a ganhar, logo aos sete minutos, e dava sinais positivos para o banco. Pelo menos, do meio-campo para a frente. Atrás, a história foi outra.

 

O nervosismo apoderou-se da defesa, com Moreira a dar o primeiro sinal, numa má saída a um canto inglês. A lateral-esquerda foi problema ainda maior. Sepsi andou fora do encontro, deu a Emerton ocasião para igualar e depois ainda cometeu a falta que deu o 1-1 de Pedersen. Aliás, um lance para Quique rever, pois a barreira caiu como um castelo de cartas, «empurrada» por Nelson, defesa do Blackburn.

 

Pouco depois, nova mostra de que o sector precisa de trabalho. O Benfica sofreu um golo de lançamento lateral com os dois centrais, primeiro Edcarlos, depois Luisão, a não conseguirem parar Santa Cruz e o autor do golo, Roberts. Os encarnados estavam a perder não só jogo, mas também o norte, como se viu no minuto 40, com os jogadores a envolverem-se em empurrões e outras coisas feias, após um lance entre Fellipe Bastos e Reid.

 

 

Benfica: Moreira; Luís Filipe; Edcarlos, Luisão e Sepsi; Carlos Martins, Fellipe Bastos, Yebda e Nuno Assis; Urretavizacaya e Nélson Oliveira.

Jogaram ainda: Maxi Pereira, Katsouranis, Miguel Vítor, Jorge Ribeiro, Balboa, Binya, Ruben Amorim, Makukula e Aimar.

Golos: Urretavizacaya (7min); Makukula (67min).

Cartões Amarelos: Urretavizacaya (41min); Miguel Vítor (78min); Makukula (86min).

Cartões Vermelhos: nada a assinalar.

 

Blackburn Rovers: Bronn; Reid, Ooijer, Nelson e Warnock; Emerton, Tugay, Mokoena e Pedersen; Santa Cruz e Roberts.

Jogaram ainda: Olsson, Judge e Fowler.

Golos: Pedersen (32min); Roberts (35min); Emerton, (50min).

Cartões Amarelos: Mokoena (28min); Reid (41min).

Cartões Vermelhos: nada a assinalar.

 

In: Maisfutebol

 

© Margarida Novais

  • Avaliações

 

"Conseguiu recuperar algumas bolas a meio-campo, mas ainda não está totalmente integrado. De qualquer forma, participou em alguns lances perigosos e rematou a rasar a barra. (3)", In: Record

 

"Tentou ajudar Aimar na construção dos lances ofensivos, numa altura em que os benfiquistas procuravam o empate, surgindo também muitas vezes pela direita. Não conseguiu revelar, porém, argumentos tão fortes como os rivais da primeira parte.", In: O Jogo

publicado por Frederica às 21:34
link do post | comentar