Benfica empata com Trofense e despede-se da luta pelo segundo lugar

  • Crónica

 

© Paulo Calado

 

O Trofense voltou a pontuar diante do Benfica, desta feita na Luz, ao empatar a duas bolas num jogo em que o marcador sofreu diversas reviravoltas. Os homens da Trofa começaram por se colocar em vantagem, assistindo depois à reacção benfiquista, via bis de Cardozo. No entanto, como já acontecera noutras partidas, o Benfica não conseguiu manter a vantagem e permitiu mesmo aos nortenhos nova recuperação que, desta feita, se revelou fatal.

Reviravolta

Um golo de Valdomiro, à passagem da meia hora, deu ao Trofense a oportunidade de sonhar com a vitória na Luz. O central brasileiro apontou o seu quinto tento na Liga Sagres (é mesmo o melhor marcador do clube nortenho) e colocou em sentido um Benfica que, até então, não conseguira desunir a fortemente povoada defesa contrária. No entanto, apoiado por quase 30 mil pessoas, o Benfica conseguiu concretizar uma tremenda resposta. Foi Cardozo – o “suspeito” do costume – a operar a “remontada” mercê de dois toques mortais (um de pé esquerdo e outro de cabeça) em plena pequena área.

 

© Infordesporto

 

De facto, aos 36 minutos, após jogada de entendimento, pela direita, entre Urreta e Aimar, o esquerdino surgiu em zona de remate, respondendo com eficácia ao centro rasteiro do argentino, que esta noite regressou ao “onze”, actuando como autêntico vagabundo na derradeira zona de construção de jogo. Urreta, outra novidade na equipa, teve, três minutos depois, papel fulcral no segundo tento de “tacuara” Cardozo, centrando largo para o mortal cabeceamento do paraguaio.


O Benfica conseguia, em dois lances, virar um resultado desfavorável e recuperar credenciais depois de uma fase menos positiva e que se reflectiu, de certa maneira, num início de jogo morno e no qual o Trofense, a actuar com um 4-4-2 em losango (no qual Hugo Leal surgia no vértice ofensivo do meio campo, tentando servir os rápidos Hélder Barbosa e Charles Chad, este no lugar do lesionado Reguila), colocou dificuldades diversas ao conjunto benfiquista.

Desilusão

Mas, depois dos tais golos de Cardozo, tudo mudou. O Benfica partiu para momentos vibrantes, vindo ao de cima a capacidade organizativa de Ruben Amorim e Carlos Martins, bem como a imprevisibilidade dos sul-americanos Aimar, Urreta, Cardozo e Di María, tendo este último disparado forte e colocado, em cima do intervalo, para grande defesa de Marco. O guardião que até já estivera em evidência quando, ainda antes do marcador mexer pela primeira vez, defendera remates de Aimar, Cardozo e Urreta, na mesma jogada, e que vira a trave tremer após cabeceamento de Luisão.

 

© Infordesporto

 

Mas, recuperando a melhor fase do Benfica, Cardozo voltou, aos 46’, a fazer das suas perante Marco, rematando de zona inesperada (perto da linha de fundo) para grande defesa do dono das redes do Trofense. Sidnei, na recarga, cabeceou por cima, perdendo-se o que seria o 3-1. Aos 57’, foi Maxi Pereira a colocar à prova os reflexos de Marco, após novo bom passe de rotura de Urreta. No entanto, contra a tendência do jogo, o Trofense voltou a empatar, após livre lateral de Hugo Leal, com a bola a pingar ao segundo poste e a ser desviada por Valdomiro para o golpe final de Paulinho.

A partir daí, o relógio precipitou-se para o final, favorecendo o Trofense e retirando alguma clarividência a um ataque benfiquista que terminou a partida com Balboa, Aimar, Cardozo e Mantorras. E foi mesmo o angolano que, aos 85’, obrigou Marco a grande defesa. O mesmo Marco que, aos 87’, defendeu com segurança um remate de Aimar, na concretização de um livre directo e que se estirou, em tempo de compensação, para deter um tiro de longe de Amorim. Momentos finais de mais uma partida em que o Benfica deixou fugir a vitória em casa. Melhores dias virão.

 

In: SLBenfica

 

Benfica: Quim: Maxi Pereira, Luisão, Sidnei, David Luiz; Ruben Amorim, Carlos Martins, Urreta, Aimar; Di María, Cardozo.
Ainda jogaram: Balboa (Urreta, 66min), Yebda (Carlos Martins, 74min), Mantorras (Di María, 80min).
Golos: Cardozo (36min, 39min).
Cartões Amarelos: Luisão (70min), Aimar (74min).
Cartões Vermelhos: -

 

Trofense: Marco; Varela, Miguel Ângelo, Valdomiro, Zamorano, Paulinho, Milton do Ó, Hugo Leal, Pinheiro, Hélder Barbosa, Charles Chad.
Ainda jogaram: Edu Souza (Charles Chad, 66min), Delfim (Pinheiro, 68min), Moustapha (Paulinho, 82min).
Golos: Valdomiro (31min), Paulinho (59min).
Cartões Amarelos: -
Cartões Vermelhos: -

 

  • Avaliações

 

© ActionImages

 

"Tentou jogar simples e abrir o jogo nas alas. Um dos melhores na segunda parte dos encarnados. (3)", In: Record

 

"Bem a recuperar, não tanto a transportar o jogo para o ataque. Não se deu bem com a pressão do meio-campo contrário. Falhou a intercepção no segundo golo do Trofense, deixando Varela saltar nas suas costas. (4)", In: O Jogo

publicado por Frederica às 18:49
link do post | comentar