Benfica vence Torneio do Guadiana

  • Pré-Época 2009/10 - Torneio do Guadiana

 

© Maisfutebol

 

O Benfica venceu o Torneio do Guadiana ao derrotar na final o Olhanense. Foi uma vitória sofrida dos encarnados, conseguida nos instantes finais do jogo, por um herói inesperado: Miguel Vítor. Saviola foi eleito melhor jogador do torneio e Coentrão somou mais uma assistência.

 

A implementar o losango, Jorge Jesus desta vez colocou Ruben Amorim sobre a direita e Yebda a «trinco». Di María surgiu à esquerda e Aimar como vértice mais adiantado, no apoio aos avançados Saviola e Cardozo. Em relação ao jogo com o Athletic Bilbao houve troca de guarda-redes e de laterais, com Moreira no lugar de Moretto e Patric e Shaffer em vez de Maxi Pereira e Sepsi. Roderick e Miguel Vítor continuaram titulares no centro da defesa.

 

No Olhanense, Jorge Costa apoiou-se no 4x3x3 promovido na última época e que deu bons resultados à equipa algarvia. Já com ideias de jogo concebidas, Castro, Rui Baião (trinco) e Messi estiveram bem organizados no miolo, manietando a organização dos encarnados. Na frente, os extremos Ukra e Zequinha serviram o ponta-de-lança Rabiola.

 

Encarnados bem controlados

 

Com Aimar tapado por Rui Baião, o Benfica sentiu dificuldades em organizar-se ofensivamente, até porque Saviola era também controlado à distância por Castro. Ruben Amorim passou ao lado do jogo, sobrevivendo o ataque apenas com Di María e Cardozo.

Mesmo com menos tempo de recuperação, a organização algarvia no centro do terreno permitiu-lhe ter o controlo da bola em quase toda a primeira parte. Só aos 22 minutos é que o Benfica conseguiu aproximar-se com perigo da baliza de Bruno Veríssimo, num cabeceamento de Roderick.

 

© Maisfutebol

 

Nuno Almeida, aos 28 minutos, assinalou uma grande penalidade por falta de Carlos Fernandes sobre Aimar, mas Cardozo atirou frouxo, permitindo a defesa de Bruno Veríssimo. Pouco depois, Di María marcou mas antes ajeitara a bola com a mão, com o auxiliar Gilberto Carvalho a detectar a infracção.

 

A segunda parte começou como a primeira, com o Olhanense a continuar mais perigoso. Ukra isolou-se mas o remate saiu por cima. Castro obrigou Quim à defesa da noite e, na sequência do canto, Roderick terá jogado a bola com a mão na área. Uma decisão muito discutível. No entanto, Ukra não ligou a pormenores e marcou a grande penalidade, colocando o Olhanense em vantagem. Avanço curto, porque no minuto seguinte, Cardozo empatou.

 

© Infordesporto

 

Até final, o Benfica teve mais domínio e posse de bola, com o Olhanense a contra-atacar com perigo. Quando se esperava pelas grandes penalidades, no primeiro dos três minutos de compensação dados pelo árbitro, Miguel Vítor desviou com sucesso um canto de Coentrão. E o Benfica ficou com a Taça.

In: Maisfutebol

 

Benfica: Moreira; Patric, Roderick, Miguel Vitor e Shaffer; Ruben Amorim, Yebda, Aimar e Di María;Saviola e Cardozo.
Ainda jogaram: Quim (Moreira, 46min), Maxi Pereira (Patric, 46min), Carlos Martins (Ruben Amorim, 46min), Fábio Coentrão (Di María, 67min), Nuno Gomes (Saviola, 67min), Urreta (79min).

Golos: Cardozo (63min), Miguel Vítor (90min).

Cartões Amarelos: Di María (30min), Yebda (46min), Maxi Pereira (90min), Carlos Martins (90min).

Cartões Vermelhos:


Olhanense: Bruno Veríssimo; Miguel Garcia, Sandro, Anselmo e Carlos Fernandes; Castro, Rui Baião e Messi; Ukra, Rabiola e Zequinha.

Ainda jogaram: Ventura (Bruno Veríssimo, 46min), Tengarrinha (Miguel Garcia, 46min), Guga (Messi, 46min), Stéphane (Carlos Fernandes, 63min), Fábio (Rabiola, 72min), Toy (Ukra, 73min).

Golos: Ukra (62min, g.p.).

Cartões Amarelos: Carlos Fernandes (27min), Zequinha (44min).

Cartões Vermelhos: -
 

  • Avaliações

 

© Maisfutebol

 

"Deslocado no flando direito do meio-campo, demorou a entrar no jogo, talvez porque a bola também não lhe chegava. Melhorou com o tempo, teve dois centros bem dirigidos para Cardozo, mas no geral não convenceu. (2)", In: Record

 

"Jogo discreto do camisola 5 como interior-direito. Não foi capaz de dinamizar aquela zona do campo, limitando-se a apoiar defensivamente Patric e Yebda. Saiu ao intervalo, rendido por Carlos Martins. E agora, com Ramires, vai ter mais um concorrente de peso...", In: O Jogo

 

  • Declarações

 

 

Um Amorim cheio de presença de espírito, aquele que analisou ontem a constante mudança de posição. "Sinceramente, já não sei qual é a minha posição", gracejou o camisola 5, frisando: "No ano passado também diziam que não sou médio-direito; todavia, fiz quase toda a época nesse posto. Agora dizem que não sou trinco. Enfim, faço muitas posições e isso é bom, pois o que interessa é ajudar o Benfica."

Os triunfos na pré-época são desvalorizados por Amorim, que prefere enfatizar o espírito de grupo. "Os resultados não são o mais importante. A equipa tem estado bem, existe muita união, portanto há que manter a situação. A união é muito importante, só depois surge a componente físico/tática", sustenta, prometendo um árduo combate com o FC Porto: "Desde que cá estou que existem condições para vencermos a Liga. Não vamos colocar-nos em bicos de pés, mas como estamos no Benfica somos candidatos a tudo."

 

In: Record

 

 


 

não há ninguém melhor que tu;

FORÇA!

publicado por Frederica às 19:58
link do post | comentar