Goleada para a história da nova Luz

  • Crónica

 

© Daylife

 

Jorge Jesus errou no prognóstico: afinal, ao contrário do que o próprio técnico esperava, era possível ao Benfica decidir logo no primeiro jogo a passagem à fase de grupos da Liga Europa. Os 4-0 ao Vorskla Poltava, fruto de uma exibição em crescendo, a rasgar sorrisos com o passar do tempo, restauram na Luz o clima de confiança trazido dos jogos de preparação, antes do tropeção no arranque da Liga.

 

Com as equipas a entrarem em campo instantes depois de Usain Bolt pulverizar mais um recorde mundial, houve talvez a tentação de esperar uma prova de velocidade por parte do Benfica. Afinal, a falsa partida com o Marítimo aumentava as expectativas. E Jorge Jesus tinha montado uma equipa de tracção à frente, preferindo Fábio Coentrão ao recuperado Ramires. Assim, o primeiro lance de perigo, logo aos 3 minutos, sugeria que a repetição do assédio final de domingo não tardaria a seguir-se.

 

Mas não foi bem assim: o Benfica até teve um arranque relativamente lento, em parte pela boa organização do Poltava, e em parte porque o espaço entre Aimar e Saviola tardava a ser ocupado, limitando a participação dos dois avançados. Di María bem procurava ligar os motores, com duas arrancadas muito aplaudidas mas, até aos 25 minutos, não deu para muito mais do que apreciar a forma exuberante de David Luiz, muleta das inseguranças de Shaffer, e a importância dos equilíbrios tácticos de Javi Garcia, libertando Aimar e os velocistas.

 

© Daylife

 

E foi de velocista para velocista que apareceu o momento de ruptura no jogo, com uma bola longa de Coentrão a surpreender Dallku e a apanhar Di María embalado na diagonal para o golo (31 m). A bola picada sobre Dolganskyy permitiu ao Benfica engrenar uma velocidade superior, que coincidiu, não por acaso, com o aparecimento de Saviola, que por três vezes viu o guarda-redes negar-lhe um golo anunciado. E, depois de um último quarto de hora festivo, sempre a rondar o golo, a equipa foi para as cabinas sob uma chuva de aplausos merecida, com a promessa de acabar a tarefa na segunda parte.

 

Cardozo e Weldon juntam-se à festa

 

Se o trio do tango (Aimar, Di Maria e Saviola) tinha protagonizado o melhor período do Benfica, o recomeço trouxe outra figura à partida: Cardozo. Primeiro, o paraguaio acabou com o trauma do penalty falhado quatro dias antes: após queda na área de Saviola, colocou uma bomba na gaveta de Dolganskyy. No lance seguinte, moralizado, teve um requinte de técnica que partiu os rins a Medvdiev e permitiu a Saviola deslizar para o golo (57 m).

 

Com o Poltava à deriva e a equipa a jogar com um sorriso nos lábios, havia condições para oficializar a passagem à fase de grupos com uma goleada ainda mais categórica. Ramires (entrado para o lugar de Coentrão e a dar indicações muito promissoras), Cardozo e Saviola passaram perto do quarto golo, mas este estava reservado, sem surpresa, para o recém-entrado Weldon, decididamente apostado em receber o testemunho de Mantorras como novo talismã da Luz.

 

In: Maisfutebol

 

© Daylife

 

Benfica: Quim; Ruben Amorim, Luisão, David Luiz, Shaffer; Javi Garcia, Fábio Coentrão, Di María, Aimar; Cardozo, Saviola.
Ainda jogaram: Ramires (Fábio Coentrão, 62min), Weldon (Cardozo, 75min), César Peixoto (Saviola, 80min).
Golos: Di María (31min), Cardozo (54min), Saviola (57min), Weldon (77min).
Cartões Amarelos: Shaffer (30min), Ramires (84min).
Cartões Vermelhos: -

 

Vorskla Poltava: Dolgansky; Krasnoporov, Medvediev, Dallku, Yarmash, Curri, Despotvski, Kulakov, Markoski, Esin, Sachko.
Ainda jogaram: Januzi (Sachko, 46min), Bezus (Yarmash, 60min), Chychykov (Markoski, 87min).
Golos: -
Cartões Amarelos: Yarmash (37min), Kulakov (43min), Dallku (50min), Januzi (73min).
Cartões Vermelhos: -

 

  • Avaliações

 

© Isabel Cutileiro

 

"Costuma cumprir bem a sua missão de defender, sempre que chamada a fazer a posição. Subiu regularmente para participar no jogo ofensivo, com cuidado e eficáia, mas recuperando sempre a tempo. (3)", In: Record

 

"Parece que já se vai habituando a jogar na lateral direita e daí sair com a folha de serviço imaculada. Principalmente na etapa compementar, esteve bem no apoio ao ataque. (6)", In: O Jogo

publicado por Frederica às 21:21
link do post | comentar