Benfica de alto nível massacra Vitória de Setúbal

  • Crónica

 

© Daylife

 

À moda antiga. O Benfica mais acutilante dos últimos anos dizimou, por completo, um Vitória de Setúbal tão fraco, mas tão fraco que raramente fez por merecer a presença no Estádio da Luz. Aliás, sobram dúvidas quando à sua presença real no reduto encarnado. Foram oito (8-1), podiam ser quinze. Não se via tamanha goleada desde 1993/94, frente ao Famalicão de Celestino, então por 8-0, no ano da conquista do título nacional!

 

Temos candidato. O Benfica de Jorge Jesus apresenta uma dinâmica ofensiva impressionante, com um manancial de soluções que permite chegar à baliza adversária de várias formas e feitios. Com Marítimo e Guimarães, a solução passou pelas cabeças de Weldon e Ramires. Frente ao Setúbal, os dois primeiros golos caíram outra vez dos céus, encaminhados por Javi Garcia (16m) e Luisão (23m).

 

Eficaz. A formação encarnada, com o mesmo figurino apresentado em Guimarães, marcou cinco golos em seis remates à baliza, ao longo da etapa inicial. Mário Felgueiras defendeu apenas uma bola, entre a enxurrada, vendo mais duas passar ao lado. Não há guarda-redes que resista.

 

Benfica goleador. Entusiasmante. Equilibrado e tremendamente ofensivo. Benfica a mais para V. Setúbal a menos. Nem parecem da mesma Liga.

 

Aimar em todo o seu esplendor

 

Recuemos um pouco. Pablo Aimar esteve em dúvida até ao dia do encontro, mas disfarçou bem. O argentino apresentou-se em todo o seu esplendor e nem deixou o V. Setúbal respirar. Ao minuto 16, Javi García já corria que nem um louco para corresponder a um canto cobrado pelo número 10, antecipando-se ao guardião sadino para inaugurar o marcador.

 

© Daylife

 

E agora, pensaram os adeptos? Seria mais do mesmo, com a equipa grande a gerir uma vantagem escassa e a pequena conformada perante a possibilidade de um remate perdido, algures nos minutos finais? Longe disso. O Benfica cresceu, cresceu ainda mais, e atirou o adversário ao tapete. Minuto 23, de novo Aimar a servir, desta vez Luisão. David Luiz ainda ameaçou, mas o golo fica para o gigante. Entre assistências, Pablito assinaria o melhor golo da noite, o quarto, passando a bola por cima de um adversário antes de do remate final. Soberbo.

 

Cardozo vezes três

 

Vitória, nem vê-lo. Tudo parecia correr de feição para o Benfica. Javi García, factor de desconfiança inicial pelo elevado investimento, já marcara. Ramires, mais 7,5 milhões de despesa, voltaria a comprovar o seu tremendo potencial. O brasileiro conquistou um castigo máximo, Jesus manteve a confiança e Cardozo respondeu à altura, voltando aos golos. O paraguaio viria a completar um «hat-trick» na etapa complementar. Pelo meio, ainda devolveu a gentileza a Ramires, com uma assistência para...ainda está a contar? Sim, o quinto golo.

 

E assim, de golo em golo, chegou o intervalo. O Benfica regressou dos balneários em dez minutos, pedindo mais. Mais futebol, mais golos. O arbitro demorou um pouco, o Vitória de Setúbal entrou a queimar o tempo limite, farto daquele pesadelo. Por instantes, em jeito de brincadeira, pensou-se numa deserção em pleno campo de batalha. Nada disso. As gentes do Sado merecem mais. Em velocidade-cruzeiro, os homens de Jesus construíram a goleada histórica. Cardozo fez o sexto, o sétimo e Nuno Gomes fechou as contas encarnadas. Hélder Barbosa atenuou a crise sadina, em cima do apito final. Festa na Luz!

In: Maisfutebol

 

© Daylife

 

Benfica: Quim; Ruben Amorim, Luisão, David Luiz, Shaffer; Javi García, Ramires, Pablo Aimar, Di María; Saviola, Cardozo.
Ainda jogaram: Fábio Coentrão (Pablo Aimar, 64min), César Peixoto (Shaffer, 64min), Nuno Gomes (Di María, 79min).
Golos: Javi García (16min), Luisão (23min), Cardozo (30min, 66min, 75min), Pablo Aimar (36min), Ramires (37min), Nuno Gomes (85min).
Cartões Amarelos: Ruben Amorim (56min).
Cartões Vermelhos: -

 

Vitória de Setúbal: Mário Felgueiras; Djikiné, Sandro, Zarabi; Bruno Monteiro, Alvaro Fernandez, Lourenço, Kazmierczak, Ruben Lima; Keita, Hélder Barbosa.
Ainda jogaram: Luís Carlos (Bruno Monteiro, 46min), Adul Baldé (Keita, 61min), Vasco Varão (Lourenço, 72min).
Golos: Hélder Barbosa (90min).
Cartões Amarelos: Ruben Lima (15min), Lourenço (18min), Bruno Monteiro (20min), Keita (28min), Alvaro Fernandez (62min), Vasco Varão (88min).
Cartões Vermelhos: -

 

  • Avaliações

 

 

"Sem problemas a defender, subiu bem e ajudou o ataque, participando em muitos lances mais perigosos do Benfica; entendeu-se muito bem com Ramires e ajudou à eficácia do flanco direito encarnado. (4)", In: Record

 

"Imparavél. A defender ou a atacar, mostrou-se insuperável, revelando-se um autêntico tormento para os adversários. Não parou um minuto e foi dos mais influentes na dinâmica da equipa. (8)", In: O Jogo

publicado por Frederica às 20:41
link do post | comentar