Ruben Amorim marca na vitória (3-0) frente à União de Leiria

  • Crónica

 

 

© Daylife

 

Nem deu para sofrer por...antecipação. Génios soltos na Luz e liderança conquistada, ainda que por capricho de calendário. Há uma lanterna vermelha que vai na frente do campeonato e, mesmo numa noite fria, teve chama imensa para bater uma União de Leiria equivocada, mas que tinha pensamento de quarto lugar. Houve argentinos a mais em campo para os leirienses. Houve golos a menos, dirão os benfiquistas. Mas houve, isso, sim, intérpretes que encantam qualquer adepto que goste de futebol e uma vitória clara para os lisboetas.

 

Ponto final, Cardozo

 

O tango de Saviola e Aimar, o pulmão de Fábio Coentrão, a eficácia de Cardozo. Mas sempre, claro, El Conejo e El Payaso, o 30 e o dez, numa conjugação perfeita de futebol dançante, de passe e repasse, quase sempre ao primeiro toque. Saviola e Aimar. Aimar e Saviola, com o ponto final de Cardozo. 1-0 no marcador, após jogada brilhante. O Benfica demorou dez minutos a isolar-se na frente do campeonato e chegou lá como tem habituado a Luz, com jogo fluído, criado nas mentes e pés de argentinos, suportado pelo esforço de brasileiros e portugueses, sem acordos ortográficos a atrapalhar. E de novo o Espanhol, claro, com pronúncia sul-americana, mas também castelhana, porque Javi Garcia só sai de cena no Bonfim. O melhor onze encarnado chegou ao golo depois de uma entrada convincente, justificando a vantagem com o resto do primeiro tempo.

 

Não foi um Benfica sufocante, até porque a União, volta e meia, chegava à baliza de Quim. Durante algum tempo não o fez, é certo, mas com o 1-0 no marcador, a ameaça ia perdurar. Saviola e Aimar continuavam, porém, numa busca incessante, de um pelo outro, por vezes deixando entrar os companheiros no centro do salão. Os encarnados mostravam elegante futebol de ataque e pressionavam em cima, quando sem a bola. Houve ocasiões para ampliar a vantagem, mas Djuricic defendia uma cabeçada de Cardozo e depois cheirava a relva, para defender um golo cantado de Luisão. Era o guarda-redes que deixava a equipa à espreita, com possibilidade de enganar os contrários, até porque o 5x4x1 apresentado foi um engano que o Leiria provocou em si próprio. Elias nunca entendeu como marcar Saviola e com isso Aimar soltava o génio. O próprio e o do compatriota. Demais para os leirienses no primeiro tempo.

 

© Daylife

 

Se Aimar saiu da lamparina, Saviola saltou da cartola

 

Aquela ameaça leiriense embaciou-se por completo, na noite fria de Lisboa. Em poucos minutos, o Benfica mostrou que vinha para o segundo tempo para chegar ao 2-0. Começou por reclamar uma grande penalidade, viu Saviola atrapalhar-se com a bola na área e ainda Silas a perder tempo para um possível remate. Mas rápido repôs as diferenças.

 

Se Aimar nasceu de uma lamparina, o talento de Coentrão podia ter despontado num qualquer bairro na Argentina. Já Saviola saltou de uma cartola, para o 2-0, lançado pelo cada vez mais lateral-esquerdo Fábio Coentrão. O 30 fez o resto, soltou velocidade supersónica, ganhou a Diego Gaúcho numa luta desigual em tamanhos, mas também em talentos, e bateu Djuricic pela segunda vez na noite. Havia ainda meia-hora para disputar, no entanto.

 

© Daylife

 

Di María desperdiçava o 3-0 e a dança, agora, era de alterações de um lado e outro. Aimar saía aplaudido e ouvia cântico em Espanhol; Éder Luís tinha mais uma oportunidade e Elias era expulso por mão na bola. A liderança chegava de forma serena, com um pontapé e grande golo de Ruben Amorim.

 

É certo que as contas estão baralhadas, nem que seja por uns dias em Fevereiro, mas a missão 20 do Benfica neste campeonato estava cumprida. O Benfica chega a líder depois da nona jornada, que desequilibrou as contas a favor do Sp. Braga. Por uns dias, não se sabe quantos, tem a ansiedade a zero. Está no primeiro lugar.

In: Maisfutebol

 

 

© Daylife

 

Benfica: Quim; Maxi Pereira, Luisão, David Luiz, Fábio Coentrão; Javi Garcia; Ramires, Pablo Aimar, Di María; Saviola, Cardozo.
Ainda jogaram: Éder Luís (Pablo Aimar, 73min), Ruben Amorim (Ramires, 82min), Kardec (Saviola, 84min).
Golos: Cardozo (10min), Saviola (60min), Ruben Amorim (89min).
Cartões Amarelos: -
Cartões Vermelhos: -

 

União de Leiria: Djuricic; Elias, Diego Gaúcho, Zé António; Hugo Gomes, Vítor Moreno, André Santos, Ricardo Pateiro, Paulo Vinicius; Silas, Carlão.
Ainda jogaram: Cássio (Hugo Gomes, 66min), Pedro Cervantes (Carlão, 77min), Tiago Luís (Silas, 82min).
Golos: -
Cartões Amarelos: Silas (14min), Elias (63min).
Cartões Vermelhos: Elias (75min).

 

  • Avaliações

 

 

© Daylife

 

"Só pelo golo valeu a pena ter entrado em campo. (3)", In: Record

 

"Grande golo de fora da área, apesar dos poucos minutos em campo. (6)", In: O Jogo

 

  • Declarações

 

«Estava a precisar de marcar este golo»

 

 

O 50.º golo do Benfica no campeonato saiu da bota direita de Ruben Amorim, jogdor que não deixou de realçar ontem este reencontro pessoal com a baliza adversária. "O golo ajudou-nos a chegar à vitória, sendo ainda um momento mais especial para mim dado que vinha de uma lesão e não estou a atravessar uma das melhores fases da carreira. Estava a precisar de marcar este golo", vincou o médio dos encarnados.

 

O sumaríssimo que foi istaurado a Javi García pode abrir uma janela de oportunidade a Ruben Amorim, o qual revelou-se disponível para render o espanhol. "Em primeiro lugar há que lamentar esta possível baixa do Javi García. Sou um jogador que pode fazer aquela posição, tal como o Airton. A escolha vai ser do mister", sublinhou o jogador de 25 anos.

 

O tento assinado não foi considerado por Ruben Amorim um trunfo a apresentar na hora da escolha do elemento que irá substituir Javi García... caso este venha a ser castigado pela CD da Liga. "Se este golo me coloca numa posição vantajosa? O treinador conhece perfeitamente a minha forma de trabalhar: Quero jogar, seja em que posição for. Pretendo ser titular do Benfica, mas essa é uma decisão que compete ao 'mister'", afirmou.

 

© Autor desconhecido

 

V. Setúbal. A U. Leiria já é passado, seguindo-se o V. Setúbal na lista de adversários dos encarnados. "Vai ser outro jogo complicado. Faltam 12 jogos para terminar o campeonato. Estamos no primeiro lugar e queremos ser campeões", defende Ruben Amorim.

 

Sp. Braga. O triunfo de ontem colocou o Benfica no topo da classificação... à condição. O médio desvalorizou a importância desta pequena ventagem. "Se o nosso 1.º lugar pressiona o Sp. Braga e o FC Porto? Não pensamos muito nesse aspecto. Tinhamos que vencer, é certo, mas o Sp. Braga já demonstrou que não se deixa pressionar. É uma boa equipa, tal como o FC Porto. O campeonato está bom!"

 

«Sporting será complicado mas espero sair vencedor». O Bonfim é o cenário do próximo embate das águias, com o V. Setúbal, mas não é menos verdade que no horizonte surge já a importantíssima deslocação a Alvalade, onde se irá jogar o acesso à final da Taça da Liga, prova que as águias venceram na última temporada. "Um dérbi é sempre um jogo complicado, mas a verdade é que todos nós gostamos dos grandes desafios. Somos os detentores da Taça da Liga e queremos continuar a sê-lo", sublinhou Ruben Amorim, não deixando de teorizar sobre a possibilidade de a goleada sofrida anteontem no Dragão ter... fotalecido o Sporting: "São jogos completamente diferentes. A forma em que as equipas se encontram não tem muita influência no desfecho deste género de partidas. Trata-se de um jogo especial e complicado, mas espero sair vencedor de Alvalade."

 

In: Record

publicado por Frederica às 18:16
link do post | comentar