Benfica perde na Choupana (2-1) frente ao Nacional

  • Crónica


 

© Daylife

 

Quem não marca, sofre. Já diz o velho ditado. Esta noite, na Choupana, isso foi uma história real. O Nacional foi tremendamente eficaz e em duas situações marcou. Depois contou com a preciosa ajuda de Roberto que continua intranquilo na baliza do Benfica. Jorge Jesus afirmou que era importante não perder pontos na Madeira. Mas perdeu. Os alvinegros mereceram pelo labor e pelo forma como foram colectivos em termos defensivos. E na baliza têm Bracalli, este sim um grande guarda-redes. Jokanovic tem razões para sorrir.

 

Perder pontos na Choupana era negativo, segundo Jorge Jesus. Talvez por isso a sua equipa tenha entrado decidida desde muito cedo. O técnico da turma da Luz lançou Gaitán no onze, com o regresso de Luisão ao centro da defesa.


O Nacional montou o seu 4x4x2, mas Jokanovic apostou no central Tomasevic para defesa esquerdo, deixando Nuno Pinto no banco. Depois, a dupla eslovena Skolnik e Mihelic foi titular e Orlando Sá fez dupla com Diego Barcellos.

 

Os primeiros remates à baliza pertenceram aos lisboetas mas sem a pontaria afinada. E logo aos 12 minutos, após um bom cruzamento rasteiro de Maxi Pereira na direita, Gaitán surgiu ao segundo poste mas com a baliza aberta atirou ao lado. Podia e devia fazer melhor o argentino. A pouco e pouco os alvinegros equilibraram e tornaram-se mais atrevidos, através da dupla Mihelic e Skolnik, mas sem grandes estragos para o guarda-redes Roberto. Continuava a mandar o conjunto da Luz com Saviola aos 27m a colocar à prova Bracalli, mas o brasileiro encaixou bem o remate do avançado benfiquista. E num lance que começou numa falta sobre Diego Barcellos, que Pedro Proença não apitou, os actuais campeões nacionais perderam mais uma boa situação ao minuto 31, com Cardozo a cabecear mal a um bom cruzamento de Coentrão.

 

© Daylife

 

Os madeirenses fechavam bem os caminhos para a baliza mas não conseguiam criar um lance de golo. O melhor foi uma chegada tardia de Orlando Sá após um bom passe de Skolnik, aos 39 minutos. Na resposta, o Benfica esteve à beira de inaugurar o marcador. Mas Bracalli evitou o pior, pois o cruzamento de Maxi Pereira foi com conta, peso e medida para a cabeça de Saviola que viu o guarda-redes nacionalista fazer a defesa da noite quando muitos adeptos já gritavam golo. O intervalo chegou sem golos. Os homens de Jorge Jesus pecaram na finalização e o nulo premiava o labor do Nacional.

 

Luís Alberto marca e «gela» encarnados

 

No recomeço foi de novo o Benfica o primeiro a chegar à baliza. E Aimar bem tentou a sua sorte num remate rasteiro mas Bracalli estava atento e segurou bem. Mas os alvinegros chegaram ao golo ao minuto 49 por Luís Alberto, que após um bom livre de Skolnik surgiu sozinho a cabecear antecipando-se a Roberto. Foi uma lição de eficácia dos nacionalistas e contra a corrente da partida sem dúvida.

 

Roberto complica muito e Sá marca

 

E o guarda-redes Roberto voltou a demonstrar que está numa situação muito fragilizada ao sofrer o segundo golo aos 65 minutos, vendo a bola bater na barra (após um cabeceamento de Luís Alberto) e sem a conseguir desviar para canto e surge Orlando Sá a cabecear sozinho e fazendo o 2-0, quando Jorge Jesus preparava a entrada de Carlos Martins. Notável eficácia dos locais que em dois lances de golo marcaram por duas vezes.

 

Aproveitando a desorientação dos benfiquistas os alvinegros até poderiam chegar ao 3-0, após mais um livre que Felipe Lopes quase conseguia desviar de cabeça perante a passividade de Roberto e «companhia». Carlos Martins de livre directo aos 76 minutos viu Bracalli voar e uma vez mais negar o golo aos campeões nacionais.

 

Até ao final, os pupilos de Jokanovic foram inteligentes na forma como defenderam e tentara aproveitar os espaços dados pelo Benfica que jogou mais com o coração do que com a razão. E a falta de eficácia foi fatal ao campeão que voltou a cair à segunda jornada da Liga. Carlos Martins ainda reduziu a diferença mas foi pouco.

In: Maisfutebol

 

 

Nacional: Bracalli; Patacas, Felipe Lopes, Danielson, Tomasevic; Luís Alberto; Bruno Amaro, Mihelic, Skolnik; Diego Barcellos, Orlando Sá.
Ainda jogaram: Ivan Todorovic (Mihelic, 66min), Edgar Costa (Diego Barcellos, 78min) e Mateus (Orlando Sá, 84min).
Golos: Luís Alberto (50min), Orlando Sá (66min).
Cartões Amarelos: Mihelic (38min), Skolnik (74min), Patacas (76min), Orlando Sá (80min), Tomasevic (84min), Ivan Todorovic (90min).
Cartões Vermelhos: -

 

Benfica: Roberto; Maxi Pereira, Luisão, David Luiz, Fábio Coentrão; Javi García; Ruben Amorim, Pablo Aimar, Gaitán; Saviola, Cardozo.
Ainda jogaram: Franco Jara (Maxi Pereira, 58min), Carlos Martins (Gaitán, 71min) e Nuno Gomes (Pablo Aimar, 82min).
Golos: Carlos Martins (90min).
Cartões Amarelos: Maxi Pereira (42min), Javi García (49min), Saviola (55min), Luisão (68min), David Luiz (68min), Ruben Amorim (77min), Carlos Martins (90min).
Cartões Vermelhos: -

 

  • Avaliações


 

© Daylife

 

Record (2)

 

Sempre regular, atacou só pela certa e procurou ocupar os espaços deixados em aberto no meio-campo. Terminou a sua prestação, uma vez mais, quando o técnino foi obrigado a apostar tudo no ataque.

 

O Jogo (5)

 

Teve algumas boas combinações com Maxi Pereira, dando dinâmica ao flanco direito da equipa. Perdeu gás quando jogou na esquerda. Acabou a lateral.

© Daylife
publicado por Frederica às 20:42
link do post | comentar