Quarta-feira, 04 De Agosto,2010

Tottenham sai "King" da Luz

  • Crónica


 

© Maisfutebol

 

O Benfica fechou a pré-temporada com uma derrota, em casa (0-1), diante de um sólido Tottenham, que assim conquistou a terceira edição da Eusébio Cup. Depois de nove jogos de preparação a reforçarem um crescendo de optimismo nos adeptos, a segunda derrota, no único jogo em que a equipa ficou em branco, representou um brusco golpe de travão na euforia, como que a lembrar que as coisas a sério só agora vão começar.

 

Apesar dos preliminares a deixar um cheirinho a Liga dos Campeões, a primeira parte foi decepcionante. Jorge Jesus repetiu o onze que tinha triturado o Aston Villa dois dias antes, mas a dinâmica não se repetiu: a sucessão de jogos e a proximidade da estreia oficial tornavam muito difícil manter os níveis de andamento. E este Tottenham, possível adversário do Sp. Braga no play-off da Champions, tem muito mais qualidade e consistência do que os villains.

 

Assim, apesar de um lance promissor logo a abrir (passe a rasgar de Jara para remate cruzado de Cardozo) os primeiros 20 minutos expuseram a quase total incapacidade encarnada para as recuperações rápidas que ajudam a fazer a diferença. Por isso, foi sem aparente dificuldade que o Tottenham fez jogo igual, com o duelo de aceleras entre Coentrão e Lennon a resgatar um espectáculo aquém das expectativas.

 

Carlos Martins sempre no melhor

 

No entretanto, algumas indecisões de Roberto reacendiam interrogações antigas nos adeptos, e Ruben Amorim sentia dificuldades para estancar o seu flanco, devido às frequentes subidas de Bale, que originavam lances de dois para um. Pela positiva, Airton e Carlos Martins iam confirmando os créditos desta pré-temporada que bem podem valer-lhes a titularidade nos jogos a doer.

 

© Maisfutebol

 

Pertenceram, aliás, a Carlos Martins os raros toques a reunir. Primeiro num remate ao lado após amortecimento de Jara; depois num belo contra-ataque que iniciou e concluiu, com Saviola e Cardozo também na jogada. Gomes defendeu a bomba como pode, e a recarga de Saviola, ao lado, encerrou o lance mais bonito da primeira parte.

 

Esperava-se o crescimento do Benfica, mas a primeira parte terminava com o gigante Crouch a ameaçar a baliza de Roberto num cabeceamento cruzado após canto de Bale. Tudo somado, era curto para as expectativas, mas compreensível pelo contexto.

 

A lesão de Pedro Proença ao intervalo anunciou a previsível enchente de substituições. Entre reforçar a intensidade para tentar criar mais dificuldades ao Tottenham ou gerir esforços a pensar na Supertaça, a opção de Jesus era clara. E já depois de Cardozo ter desperdiçado a única oportunidade de que dispôs, o Tottenham puxou dos galões e chegou ao golo, num bom trabalho de, prolongado por um toque de magia de Giovani dos Santos. Bale, na cara de Moreira, não falhou (54 m).

 

Tornava-se impossível juntar o útil - o teste exigente - ao agradável - o resultado e a exibição - e Jorge Jesus prosseguia o plano inicial. Dos titulares, só ficava em campo Carlos Martins, por sinal o melhor de todos, em mais uma confirmação do adeus de Ramires. Sem surpresa, as substituições sucessivas tiraram ainda mais fluidez à equipa e permitiram ao Tottenham manter a situação sob controlo até ao fim.

In: Maisfutebol

 

© Maisfutebol

Benfica: Roberto; Ruben Amorim, Luisão, David Luiz e Fábio Coentrão; Airton, Carlos Martins e Aimar; Jara, Cardozo e Saviola.

Ainda jogaram: Moreira, Júlio César, Luís Filipe, Sidnei, Roderick, Fábio Faria, Javi Garcia, César Peixoto, Felipe Menezes, Weldon e Kardec.

Golos: -

Cartões Amarelos: -

Cartões Vermelhos: -

 

Tottenham: Gomes; Walker, Dawson, Corluka, Bale; Lennon, Jenas, Huddlestone e Modric; Giovani dos Santos e Crouch.

Ainda jogaram: Cudicini, Naughton, Rose, Naughton, Defoe e Kranjkar.

Golos: Bale (54min).

Cartões Amarelos: Jenas (63min).

Cartões Vermelhos: -

 

  • Avaliações


 

© LUSA
 

Record (2)

 

Ainda está longe da forma que evidenciou na época passada, fruto de a ter começado aos soluçoes e com problemas físicos. As maiores fragilidades notam-se no posicionamento e velocidade, onde sentiu dificuldades frente a Modric.

 

O Jogo

 

Adaptado a defesa-direito, sentiu alguns problemas para travar o lado esquerdo dos Spurs. E seria mesmo lateral deste lado a apontar o golo, aparecendo nas costas do lateral encarnado, que nas saídas para o ataque falhou passes em número anormal.

publicado por Frederica às 17:57
link do post | comentar
Segunda-feira, 02 De Agosto,2010

Benfica vence Torneio do Guadiana ao golear Aston Villa

  • Crónica


 

© Maisfutebol

  

O Benfica venceu a décima edição do Torneio do Guadiana, derrotando, neste domingo, o Aston Villa, por 4-1, com golos de David Luiz, Saviola (2) e Cardozo. Carew marcou pelos ingleses. Os encarnados conquistam o troféu pela quarta vez, sendo agora o clube mais vitorioso da competição.

 

Frente aos ingleses, Jorge Jesus voltou a testar o plano B, em 4x3x3, «com algumas nuances», como o próprio anunciou. Luisão começou a titular, no lugar de Sidnei, certamente já a pensar no jogo com o F.C. Porto, para a Supertaça. Airton, mais recuado, com Carlos Martins e Aimar mais adiantados, formaram um meio-campo dinâmico, no apoio ao trio de ataque: Cardozo, mais fixo, Saviola e Jara, mais móveis, caindo, quando necessário, nos flancos. Nas movimentações ofensivas, Fábio Coentrão foi o lateral com mais liberdade para subir, aparecendo então David Luiz a fechar o lado esquerdo da defesa com Airton a recuar para junto de Luisão.

 

Sempre em pressão alta, o Benfica teve muita bola na primeira parte, controlando o jogo desde o início, chegando sempre primeiro que o adversário, evidenciando já bons indicadores dos níveis físicos, como ficou demonstrado no primeiro golo, quando David Luiz antecipou-se a Delfouneso, à entrada do meio-campo, rematando depois com a bola a tocar em Dunne e a enganar o guarda-redes.

 

Os ingleses viam o Benfica jogar e, só por uma vez, aproximaram-se da baliza de Roberto: aos 23 minutos, por Albrighton, que entrou pela direita, rematando cruzado ao lado do poste esquerdo. O Benfica aparecia sempre com muitos jogadores nos últimos 30 metros e com muitas trocas de bola e de posição, que confundiam os ingleses. Não foi de estranhar então que o marcador se avolumasse, com Saviola e Cardozo a darem uma vantagem tranquila, antes do intervalo. 

 

Melhor recomeço de jogo não podia ter o Benfica, com Saviola a bisar, aos 50 minutos, aniquilando de vez o adversário. O argentino ainda acertaria no poste da baliza de Friedel, pouco depois. Jesus estava descansado com o resultado e com a exibição da equipa, começando a rodar jogadores, mas sem mexer no esquema delineado, apesar da entrada de Gaitán. O argentino ocupou um dos lugares da frente, trocando várias vezes de posição com Jara, ficando Kardec mais fixo. As substituições tiraram intensidade ao Benfica e os ingleses aproveitaram para subir no terreno. Carew, aos 69 minutos, amenizou a derrota, falhando pouco depois nova oportunidade para marcar, salva por David Luiz, em cima da linha de golo.

In: Maisfutebol

 

© Maisfutebol



Benfica: Roberto; Ruben Amorim, Luisão, David Luiz e Fábio Coentrão; Carlos Martins, Airton e Jara; Saviola, Aimar e Cardozo.

Ainda jogaram: Luís Filipe, Sidnei, Javi García, Gaitan, César Peixoto, Kardec.

Golos: David Luiz (10min), Saviola (36min, 50min), Cardozo (43min).

Cartões Amarelos: -

Cartões Vermelhos: -

 

 

Aston Villa: Brad Friedel; Luke Young, Carlos Cuéllar (Curtis Davies, 12), Richard Dunne e Shorey (Downing, 46); Marc Albrighton (Weinmann, 83), Stilyan Petrov, Steve Sidwell e Ashley Young (Warnock, 46); Nathan Delfouneso (Carew, 57) e Emile Heskey (Reo-Coker, 46).

Ainda jogaram: Curtis Davies, Downing, Warnock, Reo-Coker, Carew, Weinmann.

Golos: Carew (69min).

Cartões Amarelos: Richard Dunne (42min), Silyan Petrov (45min), Marc Albrighton (66min).

Cartões Vermelhos: -

  • Avaliações


 

© Maisfutebol

 

Record (3)

 

Assemelhou-se a uma seta apontada ao último terço do terreno. Evoluiu quase sempre no meio-campo do Aston Villa, revelando algum protagonismo no processo de contrução ofensivo.

 

O Jogo

 

Entendimento perfeito com Carlos Martins e uma jogada de fino recorte em que intervieram, também, Aimar e Saviola. Sem problemas defensivos, viu-se mais na construção dos lances de ataque.

publicado por Frederica às 20:41
link do post | comentar