Ruben Amorim faz a antevisão do jogo no Dragão

  • Conferência de Imprensa


 

 

 

Ruben Amorim antecipou a deslocação ao Dragão neste domingo, na penúltima jornada do campeonato e que pode consagrar o Benfica como campeão nacional. E o facto de ser no Porto não acarreta qualquer sentimento especial para o médio.

 

«É um ponto, mas parece que ainda falta tanto. Ser campeão é ser campeão, não interessa onde. Para certos adeptos sim, mas, por mim, tinha sido já campeão no domingo passado», disse Ruben Amorim, nesta sexta-feira, no Seixal, reconhecendo que «deixar a decisão para a última jornada nunca é bom».

 

«Sentimos que está nas nossas mãos, mas não sentimos campeões. Como já disse, é um ponto, mas ainda falta muito. Não nos sentimos campeões, mas não nos passa pela cabeça não ser», clarificou.

 

Uma certeza tem, porém, que o Benfica vai apresentar-se no Dragão para ganhar. «É isso que queremos em todos os jogos, vencer. Até com o empate dá para sermos campeões, mas não sei se vamos conseguir ou não. Tem havido alguma ansiedade nestes últimos jogos, mas não dependemos do resultado do Sp. Braga para ser campeões, dependemos só de nós.»

 

O médio ainda não sabe se estará disponível para o clássico, pois ainda não trabalhou com a equipa, apesar de sentir-se «bastante melhor». «Fiz um estiramento», explicou, referindo-se ao último jogo com o Olhanense, mas hoje já treinou condicionado.

 

Relativamente ao Mundial e à possível ida à África do Sul, Ruben Amorim disse não ter ilusões quanto à possibilidade: «Tenho o objectivo de ir à Selecção mas não penso muito nisso, porque tenho noção que nunca fui convocado para nenhum jogo. O meu papel é preparar-me para ser chamado, se não for vou apoiar a Selecção.»

 

Sobre a descida do Belenenses, clube pelo qual tem «muito carinho», Ruben Amorim desejou «muita força» aos azuis e lembrou que «o mundo não acaba aqui».

 

 

(...) 

 

Na antevisão ao clássico de domingo, no Estádio do Dragão, Ruben Amorim procurou evitar a polémica mas fez questão de enaltecer o mérito do Benfica. «Há que respeitar todas as opiniões, mas não é a minha. No Porto, se ganharmos ou empatarmos seremos justos campeões. Será sinal que vencemos mais jogos, praticámos melhor futebol e merecemos chegar ao título.»

 

«A equipa do F.C. Porto não é só o Hulk. É uma equipa formada por grandes jogadores. Falar em Hulk, dizer que com Hulk seria diferente, é, na minha opinião, desvalorizar a equipa do F.C. Porto, que é uma grande equipa», acrescentou.

 

Sobre as pressões dentro e fora de campo, inerentes a um jogo entre rivais e com um passado recente polémico, Ruben Amorim disse estar tranquilo de que tudo irá correr bem. «Enquanto jogador não sinto essa pressão, porque as autoridades já estão habituadas. Para os adeptos sim, é uma pena um pai de família não poder levar um filho a um jogo destes, acredito que pensem assim», começou por lamentar.

 

«Todas essas situações criam um clima de mais confusão, de mais stress, mas tenho a certeza que não se vai passar nada, os jogadores só querem jogar e não vamos com outras intenções, tal como acredito que os jogadores do F.C. Porto não as têm. Podem ter o seu orgulho ferido porque são tetracampeões, mas eu até tenho lá amigos, não dentro de campo, mas fora não tenho problemas em dizer que sou muito amigo do Rolando», acrescentou o médio encarnado.

 

A ausência de Falcão e a presença de Cardozo pode favorecer uma outra luta, a do melhor marcador do campeonato, mas Ruben Amorim garantiu que a equipa não pensa nisso, para já. «Nós queremos ajudá-lo mas não pensamos nisso. Talvez na última jornada, se formos já campeões, mas é algo que também não vai pesar no jogo do Cardozo.» 

 

In: Maisfutebol

(adaptado)

 

publicado por Frederica às 20:10
link do post