As primeiras palavras de R. Amorim

  • Conferência de Imprensa - Mundial 2010


 

© Daylife

 

«Sinto-me orgulhoso»

 

Ruben Amorim teve uma quarta-feira inesquecível. O médio foi convocado para substituir o lesionado Nani na Seleção Nacional e nesse mesmo dia voou até África do Sul. "O mister Queiroz ligou-me na quarta de manhã, disse que havia um problema com um jogadore que estava convocado. Fiquei muito feliz, arranjei tudo à pressa e o telefone não parou de tocar", recordou esta sexta-feira em conferência de imprensa.

 

Questionado sobre a "justiça" da sua chamada de última hora, o jogador do Benfica manifestou-se "orgulhoso". "Penso que outros jogadores também mereciam estar, mas só podem estar 23. Sinto-me orgulhoso e não fico melindrado por ser chamado para substituir um colega", afirmou, sublinhando: "Nunca acreditamos que possa acontecer, nem desejamos que alguém se lesione. Eles [jogadores da Seleção] dizem que estive de férias e que só cheguei agora quando começa o Mundial."

 

«Foi um ano de sonho»

 

© Record

 

Ruben Amorim foi chamado por Queiroz para substituir Nani, jogador que ocupa uma posição na qual o médio benfiquista não se revê. "Nunca escondi a minha preferência, tenho noção de onde jogo melhor, mas no Benfica já mostrei que posso jogar noutras posições. O mister sabe que não tenho as características do Nani, mas a minha posição será definida pelo mister Queiroz", afirmou esta sexta-feira em conferência de imprensa.

 

A chamada à Seleção Nacional para disputar o Mundial na África do Sul foi um sonho tornado realidade, mas Ruben Amorim sublinha que todo este ano tem sido abençoado. "Foi um ano de sonho: fui campeão pelo Benfica, estou no Mundial, mas quero mais. Venho um mês atrasado na preparação, mas quero jogar e participar".

 

Ainda que só com a companhia do benfiquista Fábio Coentrão, Ruben Amorim garante que não se sente desacompanhado. "Fui muito bem recebido. Esta é a seleção portuguesa, não a do Benfica. Tenho o Fábio Coentrão que vale por dois: fala pelos cotovelos!", brincou. O jogador revelou ainda que Jorge Jesus lhe enviou uma mensagem para o felicitar pela chamada à equipa das Quinas

 

O médio Ruben Amorim reconheceu esta sexta-feira que se sente "bastante bem" fisicamente, apesar de ter sido chamado para a Seleção Nacional que vai disputar o Mundial, quando já estava de férias.

 

© A Bola

 

O médio do Benfica admitiu que os primeiros treinos foram "complicados" e que causaram "algumas dores musculares". "Tive a sorte de fazer a digressão com o Benfica, tive mais duas semanas de treinos. Foi tudo a ajudar. Para esta chamada, tive muitos pontos que ajudaram. A digressão do Benfica, o susto do Tiago, que me fez ter atenção e não parar. Depois destes dois treinos e com trabalho de ginásio, acho que me sinto bastante bem para o tempo que estive parado", referiu.

 

Ruben Amorim adiantou que, durante as férias, não teve grande preparação, mas que nunca parou, pois foi fazendo ténis, natação e foi-se "mexendo um pouco para o caso de acontecer alguma coisa".

 

"Sabia que estava de reserva, mas nós nunca acreditamos que possa acontecer, nem desejamos, porque é complicado um jogador estar tão perto, fazer a qualificação toda e não ser chamado. Comigo foi ao contrário, não fiz nenhum jogo e fui chamado para o Mundial. Eles brincam comigo, dizem que estive de férias e que cheguei quando vão começar os jogos. Estou muito feliz, não podia estar mais feliz", afiançou.

 

In: Record

 

«Temos jogadores para chegar longe»

 

© A Bola

 

Ruben Amorim chegou há três à África do Sul, mas manifestou vontade de ajudar a Selecção Nacional «a chegar longe» no Mundial, ressalvando que neste momento a principal meta traçada passa por chegar aos oitavos-de-final.

«O principal objectivo é passar fase de grupos e depois tudo pode acontecer. Podemos chegar longe e temos jogadores para isso. Em relação a mim, quero ajudar no que for possível», afirmou o médio do Benfica, em conferência de imprensa.

Sven-Goran Eriksson, treinador da selecção marfinense, afirmou esta sexta-feira que o avançado Didier Drogba deverá recuperar a tempo de defrontar Portugal.

Ruben Amorim comentou a novidade considerando que «é uma boa notícia para o futebol, uma má notícia para Portugal. O futebol fica a ganhar, mas é mais uma preocupação para a Selecção.»

No entanto, o médio garantiu que a presença de Drogba por si só não trará grande vantagem à Costa do Marfim, pois considera que a equipa africana «vale pelo seu todo, não só por um jogador.»

Os brasileiros Ramires e Luisão são colegas de Amorim no Benfica, mas o médio deixou isso de lado para a competição na África do Sul, explicando: «Somos colegas de equipa, mas adversários no Mundial. Espero que Portugal e Brasil passem.»

 

In: A Bola

publicado por Frederica às 20:53
link do post